bálsamo bengué

2019, janeiro 19, sábado

olhar pra uma montanha e observar o balé das árvores é uma das coisas mais lindas… principalmente após um tempestade.

e meu joelho dói.

e amanhã o compromisso é fazer mudas/estaquia de buganvílias. e catar um pouco de estrume.

ps: e enquanto caçava formigas cortadeiras pela noite adentro, a coluna travou pela segunda vez no dia. que dor absurda… que dificuldade de respirar. só o bálsamo bengué para aliviar…

 


qué tiempo he de decir que esto no es realidad?

2019, janeiro 18, sexta-feira

estou irritado. ultra sensível… descompensado. e o que é muito estranho… como de um instante para outro cai neste estado, onde a presença dos outros, a voz dos outros, a existência dos outros me perturba de um forma incontrolável… e não sei se é pela rede estar instável, ou por eu ter bebido uns goles de caipira – não o suficiente para ficar feliz -, ou por ter iniciado a redução da medicação – bora desmamar e viver de cara limpa -… mas, o gatilho foi acionado e estou assim, terrível. que bosta. respirar fundo e escrever aqui, talvez. um banho gelado depois… vai que as coisas esfriam, cá dentro.

enquanto chove lá fora.

e sobre hoje, dora me deu um nó, me cansou, mas ao cabo, engoliu o seu comprimido mastigável… ou ao menos a metade. e eu torcendo para não ter jogado cinquenta pila no lixo…

audiometria solicitada, agora é esperar o agendamento. estou a ficar levemente surdo de um ouvido.

e sobre ontem… eu amarelei… usei quase todas as minhas camisetas amarelas. ô dia infernal… calor absurdo.

ontem cumpri minha função. hoje dormi e só sai da cama porque havia um corres inadiáveis por fazer…

na trilha de fundo… curumin:

DIGIPACK_Boca_AF

*****

ps:

desculpa. fui bruto. desproporcional. eu sei que queria que vc fosse diferente do que é, e que em algumas vezes vc pudesse falar de uma forma doce ou amiga, mas as coisas são como são e é isso. cada um dá o que pode dar. não devo pedir nada além. devo apenas um pedido de desculpa pra ti e pra mim.

*

trilha de fundo:

maxresdefault

kamasi washington – ‘clair de lune’

*

e pesei-me hoje, 102. ano passado estava com 110-112.


y otro cafe, por favor

2019, janeiro 16, quarta-feira

dia longo, exaustivo… mas produtivo.

e antes de dormir… uma película.

El Lado Oscuro Del Corazón” (1992) [Eliseo Subiela]

– Es muy difícil. – ¿Qué? – El amor. ¿Cómo amar sin poseer? ¿Cómo dejar que te quieran sin que te falte el aire? Amar es un pretexto para adueñarse del otro, para volverlo tu esclavo, para transformar su vida en tu vida, ¿cómo amar sin pedir nada a cambio, sin necesitar nada a cambio? – Si no hubiera pasado el tiempo, sentiría que me estás haciendo un reproche. Pero en realidad creo que estás asustado y si estás asustado es porque algo fuerte te está pasando. Casi siempre el error que cometemos, es pensar sólo lo que nos pasa a nosotros, nos parece tan importante eso que sentimos, que nada de lo del otro puede ser tan importante como eso que sentimos, y esa contradicción suele ser trágica. – Si no hubiera pasado el tiempo, pensaría que estás siendo autocrítica. – Es el error más común que cometemos todos, es querer que el otro sea como queremos que sea y no como es. Y cuando nos damos cuenta del error, a veces es demasiado tarde.