«can't leave behind»

2002, agosto 4, domingo

Mentiras… Mentiras… Mentiras… Era tudo mentira, tudo o que eu falei… Era, apenas, mentira.
Gritei e ela perdeu-se em algum lugar do teu olhar. Sai correndo, gritando, morri.
Como uma mentira sem perfume ou dor qualquer…

Ora, não me amole. Nem tudo dá certo quando tudo ‘tá errado.

Eu não estou me sentindo bem.
Porque… Você vem? Eu não!

***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: