oxalá

[sáb] 21 de setembro de 2002

Porque hoje?
Porque nós?
A lua surgiu, assim, do nada…
E o céu – Ah! – Negro e cheio de estrelas absurdamente distantes…

Está tudo tão claro
A noite,
Os destinos…

—————————————————–
E sai porque vi a lua
Que de tão bela se fazia nua
E aos olhos meus se deixou ficar
Como se estivesse ali pra me tocar

Não há como explicar, apenas senti
Eu só sai porque a lua vi…
—————————————————–

E o tempo passa rápido demais quando estamos distraídos
E não sei há quantos dias atrás… Se foram, eu apenas não os vi.
É! Eles se foram…

Mas fica aqui este poema cantado pela voz cristalina e encantadora de Teresa Salgueiro… Oxalá!
Oxalá, me passe a dor de cabeça, Oxalá
Oxalá, o passo não me esmoreça
Oxalá, o Carnaval aconteça, Oxalá
Oxalá, o povo nunca se esqueça…

Oxalá, eu não ande sem cuidado,
Oxalá eu não passe um mau bocado;
Oxalá, eu não faça tudo à pressa,
Oxalá, meu futuro aconteça…

Oxalá, que a vida me corra bem, Oxalá
Oxalá, que a tua vida também;
Oxalá, o Carnaval aconteça, Oxalá
Oxalá, o povo nunca se esqueça…
Oxalá, o tempo passe, hora a hora,
Oxalá, que ninguém se vá embora,
Oxalá, se aproxime o Carnaval,
Oxalá, tudo corra, menos mal…

Oxalá (Álbum Antologia de 2000)
Letra e música de Pedro Ayres Magalhães (Madredeus)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: