três poemas

[sáb] 3 de julho de 2004
e seus olhares indiscretamente diretos
libeluloideos,
pleustonamente se seu corpo ficasse marcado
lábios e mãos
se tudo que dissesse
cada vez que penso, sentisse.
E se não falássemos mais sobre certas paisagens
e seus olhares calando-me ‘inda agora
quando passou
alguém
nesses olhares indiscretamente diretos
libeluloideos

………………………………………

um lugar
subindo a ladeira
cortando versos diversos
tão alheios
tão estranhos
tão teus
um dia seremos
dois outros
mesmo sem poder resistir
mesmo sem poder existir
chuvas e outras tardes.

………………………………………

amarelo pé
no inverno o ipê
sem florescer
belo ainda é
uns instantes
no pé
o ipê amarelo
três meses idos
tão diferente
e não difere em mim
a impressão
de ver então
como é belo ainda
o amarelo pé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: