Archive for fevereiro, 2006

dois exercícios: sobre os insetos, e sobre a morena.

2006, fevereiro 27, segunda-feira

Hoje, na madrugada, entre movimentos e pensamentos: dois exercícios (INSETOS¹ e MORENA)

insetos

Aos pequenos insetos
Voadores de meus dedos
Diamantes de meus olhos
Dos miúdos aos mais inquietos
Adoradores bioluminescentes
Sinto e sei que sentem
Amantes e belos
De tantas formas e tantos elos
Noturnos flutuam comigo
De luz, de umbigo
Voam-me…

—————————–

morena

É de noite, é de dia
Tu ri, eu faço folia
E esta aqui, morena,
É somente pra ti
Não sou tão bom assim, e é pena
Só posso te dar um pedaço
Só posso flertar sem laço
Só um pouco… Num triz
Só pra te deixar feliz
Um dia, um outro
Eu tu na folia
E no gozo
Tão próximos
Eu tão distante – É pena
Sou e já não sou, morena…
Teu eterno amante
De êfemero instante
Tu ri criatura
Eu faço folia
E é só carnaval…
Um dia há de acabar.
E só posso te dar
Só flertar
Só assim…
Um pedacim…

100_0005

—————————-

¹ Referência a posteriori : Círculo Vicioso de Machado de Assis

é carnaval…

2006, fevereiro 26, domingo

alsosprachAfinal, folia nunca faz mal… Ao som de “Also Sprach Zarathustra“… Vamos lá. Domingo de carnaval, folia na rua, eu aqui, envolto e imerso em meus devaneios e absurdos, pensando… Quero algum ponto, um começo, e, bom, esse é um cara essencialmente bom, com vários defeitos e muitas qualidades, e é claro, que não vou revelar nada, e nenhum, aqui, pois nem há como. Sou único, no sentido de que, cada um de nós vê e sente de forma específica, e na minha órbita moral e social, especificamente, como todos os outros seres, e aqui não digo você, hipotético leitor, mesmo que eu esteja escrevendo de certa forma pra você, e o mais engraçado, que eu posso vir a ser, e serei, uns dos leitores, senão o único, o mais provável; que todos somos únicos… Me perdi [ônus pela digressão sem fim]. Mas você chegou até aqui então prossiga… Vivo e gosto de viver, escrevo e gosto de escrever… E sempre escrevi, sempre foi uma necessidade, ora latente, ora não, mas sempre presente no meu espírito. Quando comecei este blog, “a rã filosofia”, eu estava sem pc, no retorno ao semestre, após a greve da federal, utilizando os micros do lab.ufsc para acessar e postar, coisas que eu escrevia na sala, e/ou em dias anteriores. Pretendo aqui, e isto é um registro de intenção, postar tudo, que até então, escrevi e tenho registrado, em outro meios como blogs anteriores, material que deixei pela rede,  cadernos, poesias, no hd deste pc – que, como eu já disse, estava sem, mas consertei, depois de alguns anos. longa história para resumir aqui. – e na minha mente. Bah, ficou confuso e estranho…
Enfim quero com o tempo, agora com pc em casa melhor, mudar o layout, postar o material e continuar escrevendo, mais e mais… E p’rá que? Sei lá… Afinal… folia nunca faz mal.
Mas, num domingo de carnaval eu, aqui, em casa… Dedo machucado, remédio (droga) no corpo, e duas provas, uma de história [disciplina de HST5213 – História Econômica, Social, Política Geral e do Brasil], outra de sociologia [disciplina de SPO5127 – Introdução a Sociologia], um trabalho de geografia  [disciplina de GCN5184 – Geografia Humana], e um seminário de história por elaborar, além de ter que ler vários textos, e tudo isto para quinta e sexta… Acho que consigo… Consigo sim! É só não ficar aqui perdendo meu tempo escrevendo besteiras… 02min. para o fim, para o silêncio… Para o batuque do samba, para o café, para Comte… Ou Durkheim… fim.

animatom…

2006, fevereiro 22, quarta-feira