para os que andam por ai (em mim)

2006, novembro 10, sexta-feira

Nada por mim
«(…) Você me tem fácil demais, mas não parece capaz de cuidar do que possui (…) Você sorriu e me propôs que eu te deixasse em paz. Me disse: “Vái!” E eu não fui (…)  Não faça assim, não faça nada por mim, não vá pensando que eu sou seu (…) Você me diz o que fazer, mas não procura entender que eu faço só pra agradar. Te agradar (…)  Me diz até o que vestir, por onde andar, aonde ir, mas não me pede pra voltar (…)».

Herbert Vianna e Paula Toller

***

Para os que andam por ai. Olhando para os lados e vendo todos os pássaros, as nuvens, as folhas ao vento. Sentindo algo assim, no peito, nos pés, na língua… Observando o coração pulsar!

Para os que andam, hoje, por aí, à toa… “Até o sol raiar..

É, deixa o vento ir. Que eu vou…
“(…) não te dizer o que eu penso, já é pensar em dizer e isto eu vi, o vento leva (…)”

Saudade hoje de não sei o que (…) talvez de um eu te amo (…) talvez de mim.

à tarde. museu universitário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: