Archive for janeiro, 2009

será que dói ou é só o poeta?

2009, janeiro 30, sexta-feira

nestes dias:

sol quente.
vivo gramado.
verde por todos os lados

cores, sons animais-vegetais
completam… o mosaico.

eu fujo do tom, atravessando…
Nestes dias encerro
uma fase.
e cada tarefa necessária se põe diante dos olhos e razão
todavia a imaginação

e os devaneios fragmentados me habitam teimosamente
e me perco imóvel sem escolher o que começar,

ando sem fé!

preciso desse próximo passo,

e da fé na potência contida…
preciso ordenar estes impulsos

que rasgam minha clareza, minha certeza…
preciso crer na força

e na criativa capacidade!
preciso, crente, profundamente

assumir a construção deste novo ser… preciso viver mais!

——–
traduzindo – Não tenha medo de ir devagar; só tenha medo de ficar parado, diz hoje.
——–

e rabiscado no guardanapo onde mal se distingue a caligrafia torta e os rabiscos desenhados dizendo da impossibilidade de retorno
ao que for, seja toda a dor já experimentada ou as agradáveis sensações retidas na memória

[o que é uma ilusão?]
[trecho suprimido na bula].

—-
mas é só ansiedade, e um certo pavor.

verde, anil, amarelo, cor-de-rosa e carvão

2009, janeiro 30, sexta-feira

«… e quando escondo a minha olheira [E7] é pra colher amor…»

«… [Bb] Ô chuva vem me dizer [Eb] se posso ir lá em [Bb] cima prá derramar você [Eb]… [Bb] Ô chuva preste atenção [Eb] Se o povo lá de [Bb] cima vive na solidão [Eb]… [Bb] Ô chuva vem me dizer… [Bb] Ô chuva vem me dizer…»

entre outros tantos versos deste belíssimo álbum que ouço compulsivamente ao volume máximo nas ultimas cem horas!

y de noche se llama jimmy coffles…

2009, janeiro 27, terça-feira

y de noche se llama jimmy coffles.
—-
soy un jimmy coffles. minha venezuela é aqui. mi hermanos son parte de mi. soy el dolor del hombre. soy el sudor del mundo… soy el sueño de la possibilidad humana… soy gente, soy pueblo en lucha!

***

pano azul. letras tinta negra. cartão. papel amassado. como se tudo ao entorno fosse de outra cor roséa como as nuvens ou as manhãs. Este quarto, este corpo segue com seus papéis amontoados pelas estantes, pelas mesas, pelo chão… no centro, flanando sozinho pelas pedras, andando sob as velhas árvores e ao olhar do casario visitei o pintor em seus fragmentos e estudos. Escorreguamos pelo chão de grossas tábuas e nos aconcheguamos entre as grossas paredes de tijolo, pedra e oléo de baleia…  sua velha casa de quando ainda vivia. e ele apenas emoldurado e eu alimentando-me de seus traços. sonhei no traço de óleo ou grafite sobre cartão… daniel-senise-doou-a-obra-wl-140-e28093-setembro-08-e28093-0709

… Enquanto conversávamos me perguntava, ele, o que será dado? Que caminhos e pedras encontrará por esta jornada que sigo? Me pego só, rodeado por fragmentos de gente, conversando já calçada ou em pleno centro da rua movimentada com os devaneios de outros tempos, com seres futuros… com as hipóteses. Se por estes dias tenho me sentido levemente deprimido ou sufocado com a necessidade de ser outro que não este, a crise falava isto para mim, e quando sorrio com este que estou? Hoje sobrevivi,

vi por trás dos panos do teatro o teatro repleto de emoção… vi o cangaceiro, vi o pingo dágua na bacia, vi meu deslumbramento diante do sonho de viver, me vi ali em outros tempos e eu sonhava… me reencontrei com o sonho, essa poeira mágica que movimenta estes pés calejados de quando fora ao espetáculo por primeira vez.

[e chega deste cansaço e desta solidão].
….

no volume máximo para a minha garganta sentir arranhar o céu… ////// A boiada seca / Na enxurrada seca / A trovoada seca /Na enxada seca /// Segue o seco sem sacar que o caminho é seco/ Sem sacar que o espinho é seco / Sem sacar que seco é o Ser Sol / Sem sacar que algum espinho seco secará / E a água que sacar será um tiro seco / E secará o seu destino secará /// Ô chuva, vem me dizer / Se posso ir lá em cima prá derramar você / Ô chuva, preste atenção / Se o povo lá de cima vive na solidão /// Se acabar não acostumando / Se acabar parado calado / Se acabar baixinho chorando / Se acabar meio abandonado / Pode ser lágrimas de São Pedro / Ou talvez um grande amor chorando / Pode ser o desabotoado céu / Pode ser coco derramando /// Carlinhos Brown / Marisa Monte

…: 5mm no lóbulo direito e vejo o outro lado. respire fundo coração… o mundo é teu sebastião!