com as nossas próprias mãos, bocas e ouvidos! [para o vento não nos tocar!]

[sex] 14 de agosto de 2009

ontem: seguindo o comboio que é a vida! vi o mar, e os pássaros, e a grama, e os sorrisos, e o brilho de diversos olhares… e o alvorecer, e os discursos, e as pessoas, e a noite… estive com tantos e senti a presença de tantos  outros que quero bem… estes que há dias não passavam pelos meus pensamentos, uns há mais outros há menos tempo. enfim… quando mais me senti no meio de todos, aconchegado, em casa, contente por estar vinculado,  em um  ar familiar nesta vida. bate, e bateu, esse friozinho aqui, esse estranhamento, essa estranha sensação de falta… de vontade… e não é algo ou alguém em específico.

talvez um pouco de vinho aquecesse esse meu sangue caliente e grosso… e conseguisse algumas gargalhadas e pouco de pele quente!

post-scriptum: falar sobre Gabriel Tarde, e as divertidas aulas de teoria antropológica dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: