nacos de nuvens

2009, agosto 25, terça-feira

DOSSIÊ MAIAKOVSKI

nacos de nuvens – vladímir vladimirovich mayakovski

maiakovski-teatro

No céu flutuavam trapos
De nuvem – quatro farrapos:
do primeiro ao terceiro – gente;
o quarto – um camelo errante.
A ele, levado pelo instinto,
no caminho junta-se um quinto.
Do seio azul do céu, pé-ante-pé, se desgarra um elefante.
Um sexto salta – parece.
Susto: o grupo desaparece.
E em seu rasto agora se estafa
o sol – amarela girafa.

ignorãças  «« anterior
próximo »» alguma poesia

Publicado
25/08/2009 04:19:56
editado:
23/12/2018 15:30
20/11/2018 01:32

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: