o dia em que faremos contato?!

2009, setembro 6, domingo

# 1. A Ponte [ Como é que faz pra lavar a roupa? / Vai na fonte, vai na fonte / Como é que faz pra raiar o dia? / No horizonte, no horizonte / Este lugar é uma maravilha // … / A ponte não é de concreto, não é de ferroNão é de cimentoA ponte é até onde vai o meu pensamento /A ponte não é para ir nem pra voltar // … / A ponte é o abraço do braço do mar / Com a mão da maré / A ponte não é para ir nem pra voltar / A ponte é somente pra atravessar / Caminhar sobre as águas desse momento // Nagô, nagô, na Golden Gate / Entreguei-te / Meu peito jorrando meu leite / Mas no retrato-postal fiz um bilhete / No primeiro avião mandei-te / Coração dilacerado / De lá pra cá sem pernoite /De passaporte rasgado / Sem ter nada que me ajeite /Coqueiros varam varandas no Empire State /Aceite / Minha canção hemisférica /A minha voz na voz da América / Cantei-te… / LENINE, LULA QUEIROGA ]  # 2. Hoje Eu Quero Sair Só [Se você quer me seguir, Não é seguro / Você não quer me trancar, num quarto escuro /Às vezes parece até, Que a gente deu um nó / Hoje eu quero sair só // Você não vai me acertar, À queima-roupa / Vem cá, me deixa fugir, me beija a boca / Às vezes parece até que a gente deu um nó / Hoje eu quero sair só / Não demora eu ‘tô de volta… //  Vai ver se eu ‘tô lá na esquina, devo estar…  / Já deu minha hora e eu não posso ficar… / A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua… /A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua // … / Vem cá, me deixa fugir, me beija a boca / Às vezes parece até que a gente deu um nó / Hoje eu quero sair só / Não demora eu ‘tô de volta… // …  /A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua…  /A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua… // Vai ver se eu ‘tô lá na esquina, devo estar…  / Já deu minha hora e eu não posso ficar… / A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua… /A lua me chama, chama // Hoje eu quero sair só / Hoje eu quero sair só / Hoje eu quero sair só / Hoje eu quero sair só // A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua…/A lua me chama, Eu tenho que ir pra rua… / Hoje eu quero sair só / Hoje eu quero sair só / Hoje eu quero sair só… /LENINE, MU CHEBABI, CAXA ARAGÃO] # 3. Candeeiro Encantado [Lá no sertão cabra macho não ajoelha, /nem faz parelha com quem é de traição, / puxa o facão, risca o chão que sai centelha, / porque tem vez que só mesmo a lei do cão. // è lamp, é lamp, é lamp… / é lampião // Meu candeeiro encantado… // Enquanto a faca não sai toda vermelha, /a cabroeira não dá sossego não, / revira bucho, estripa corno, corta orelha, / quem nem já fez Virgulino, o capitão. // é lamp… // já foi-se o tempo do fuzil papo amarelo, /pra se bater com o poder lá do sertão, /mas lampião disse que contra o  flagelo, / tem que lutar de parabelo na mão. //é lamp… // falta o cristão aprender com São Francisco, / falta tratar /o nordeste com o sul, /falta outra vez /lampião, trovão, corisco, /falta feijão / invés de mandacaru, falei? / falta a nação / acender seu candeeiro, / faltam chegar /mais gonzagas lá de Exú /falta o Brasil / de Jackson do pandeiro, / maculêlê, carimbó, / maracatu. /LENINE, PAULO CÉSAR PINHEIRO # 4. Etnia Caduca [É o camaleão diante do arco-íris /Lambusando de cores nos olhos da multidão / É como um caldeirão misturando ritmos e raças /É a missa da miscigenação // Um mameluco maluco /Um mulato muito louco / Moreno com cafuso / Sarará com caboclo // Um preto no branco / E um sorriso amarelo banguelo (bis) //  Galego com crioulo / Nissei com pixaim / Coriboca com loiro /Caburé com Curumim // É o camaleão e as  cores do arco-íris / Na maior muvuca /Ô… Etnia caduca /LENINE] # 5. Distantes Demais [Somos somente a fotografia / Dois navegantes perdidos do cais / Distantes demais // Somos instantes, palavras, poesia / Dois delirantes ficando reais // Distantes demais // Noite de sol / Loucos de amar / Quem poderia nos alcançar // Eu e você sem perceber / Fomos ficando iguais / Longe, distantes demais /LENINE, DUDU FALCÃO] # 6. O Dia Em Que Faremos Contato [A nave quando desceu, desceu no morro / Ficou da Meia-noite ao Meio-dia /Saiu, deixou uma gente / Tão igual e diferente / Falava e todo mundo entendia // Os Homens se perguntaram / Por que não desembarcaram / em São Paulo. Em Brasília ou em Natal / Vieram pedir socorro / Pois quem mora lá no morro / Vive perto do espaço sideral // Pois em toda via láctea / Não existe um só planeta / Igual a esse daqui / A galáxia ‘tá em guerra / Paz só existe na terra / A paz começou aqui // Sete Artes e dez mandamentos / Só tem aqui / Cinco sentidos, terra, mar firmamento /Só tem aqui /Essa coisa de riso e de festa / Só tem aqui / Baticum, Ziriguidum, Dois Mil e Um!! / Só tem aqui // A Nave Estremeceu, subiu de novo / Deixou um rastro de luz, ao meio-dia / Entrou de volta nas trevas, foi buscar futuras Léguas / Pra Conhecer o amor e a Alegria //A nave quando desceu, desceu no morro / Cheia de ET vestido de orixá /Vieram pedir socorro / E se deram vez ao morro / Todo o universo vai sambar… / Ô, vai sambar… / LENINE, BRAÚLIO TAVARES] # 7. A Balada Do Cachorro Louco [Eu não alimento nada duvidoso / Eu não dou de comer a cachorro raivoso / Eu não morro de raiva / Eu não mordo no nervo dormente // Eu posso até não achar o seu coração / E talvez esquecer o porquê da missão / Que me faz nessa hora aqui presente / E se a minha balada na hora H / Atirar para o alvo cegamente / Ela é pontiaguda / Ela tem direção / Ela fere rente / Ela é surda, ela é muda / A minha bala, ela fere rente // Eu não alimento nenhuma ilusão / Eu não sou como o meu semelhante / Eu não quero entender / Não preciso entender sua mente / Sou somente uma alma em tentação / Em rota de colisão / Deslocada, estranha e aqui presente // E se a minha balada na hora então / Errar o alvo na minha frente / Ela é cega, ela é burra / Ela é explosão / Ela fere rente / Ela vai, ela fica / A minha bala ela fere rente / LENINE, LULA QUEIROGA, CHICO NEVES] # 8. Aboio Avoado [Era um delírio danado / De queimar as pestanas dos olhos. / Um tremor batendo no peito / E esse adeus, que tem gosto de terra. //Ah! Meu amor! / Não se entregue sem mim / Ah! Meu amor! / Eu só quero avoar. / ZÉ ROCHA] # 9. Dois Olhos Negros [Queria ter coragem de saber / O que me prende, o que me paralisa / Serão dois olhos negros como os teus / Que me farão cruzar a divisa // É como se eu fosse pro Vietnã / Lutar por algo que não será meu / A curiosidade de saber / Quem é você… // Dois Olhos Negros! / Dois Olhos Negros! // Queria ter coragem de te falar / Mas qual seria o idioma? / Congelado em meu próprio frio / Um pobre coração em chamas // É como se eu fosse um colegial / Diante da equação, o quadro giz /A curiosidade do aprendiz / Diante de Você… // Dois Olhos Negros! / Dois Olhos Negros! / Dois Olhos Negros! / Dois Olhos Negros! // O ocultismo, o vampirismo e o voodoo / O ritual, a dança da chuva / A ponta do alfinete, o corpo nú / Os vários olhos da Medusa // É como se estivéssemos ali / Durante séculos fazendo amor / É como se a vida terminasse aqui / No fim do corredor… /LULA QUEIROGA] # 10. O Marco Marciano [Pelos auto-falantes do universo / Vou louvar-vos aqui na minha loa / Um trabalho que fiz noutro planeta / Onde nave flutua e disco voa: / Fiz meu marco no solo marciano / Num deserto vermelho sem garoa // Este marco que eu fiz é fortaleza. / E levando ao quadrado Gibraltar! / Torreão, levadiça, raio-laser / E um sistema internet de radar: / Não tem sonda nem nave tripulada / Que consiga descer nem decolar. // Construi o meu marco na certeza / Que ninguém, cibernético ou humano. / Poderia romper as minhas guardas / Nem achar qualquer falha no meu plano / Ficam todos em Fobos ou em Deimos / Contemplando o meu marco marciano // O meu marco tem rosto de pessoa / Tem ruínas de ruas e cidades / Tem muralhas, pirâmides e restos / De culturas, demônios, divindades: / A história de Marte soterrada / Pelo efêmero pó das tempestades // Construi o meu marco gigantesco / Num planalto cercado por montanhas / Precipícios gelados e falésias / Projetando no ar formas estranhas / Como os muros Ciclópicos de Tebas / E as fatais cordilheiras da Espanha // Bem na praça central um monumento / Embeleza meu marco marciano: / Um granito em enigma recortado / Pelos rudes martelos de Vulcano: / Uma esfinge em perfil contra o poente / Guardiã imortal do meu do meu Arcano / LENINE, BRAÚLIO TAVARES] # 11. Que Baque É Esse? [Ô Nega, que baque é esse? / Chegou pra me baquear. / Nega, tu não se avexe, / Meu corpo remexe / Sem se perguntar: Por quê? // Nega que baque é esse? / Ninguém pode me ajudar / Só mesmo com você / Quero ver o baque da vida virar. // O verão chegou, / O Sol já saiu / Pra tirar teu mofo / E o maracatu passou / Já com o bombo batendo fofo. / Só quem vai atrás / É capaz de entender / Toda essa magia / A nega dançando, / E a negada babando na fantasia / LENINE] # 12. Pernambuco para o mundo: Voltei Recife [Voltei, Recife / Foi a saudade / Que me trouxe pelo braço / Quero ver novamente “Vassoura” / Na rua abafando / Tomar umas e outras / E cair no passo // … / LUIS BANDEIRA]; Frevo ciranda [Eu fui à praia do Janga / Pra ver a ciranda / No meu cirandar – Ciranda // O mar estava tão belo / E um peixe amarelo / Eu vi navegar – Navegar //Não era peixe não era / Era Iemanjá / Rainha / Dançando a ciranda / Ciranda / No meio do mar / Ciranda. / CAPIBA]; Sol e chuva [Não não quero mais / Brincar de sol e chuva / Com você /  Não suporto mais / Brincar de sol e chuva / Com você / Eu não quero mais… // Para seu dedo tenho / Um dedal  / Pro seu conselho / Cara de pau  / Tenho dezembro  / Tenho janeiro /E se não me engano / Tenho fevereiro  / Se essa vida / É um desmantelo /Me mate /  Que eu sou /Muito vivo / Vivo /ALCEU VALENÇA]; Rios, Pontes e Overdrives [… / Rios Pontes e Overdrives, Impressionantes esculturas de lama / Mangue, mangue, mangue, mangue, mangue, mangue, mangue!!!! /Rios Pontes e Overdrives, Impressionantes esculturas de lama / Mangue, mangue, mangue, mangue, mangue, mangue, mangue! / … / CHICO SCIENCE, FRED ZERO QUATRO] # 13. Bundalelê [Chegou, chegou… / A nossa tribo é o tambor que acorda o carnaval. / Bebeu, sorriu, cantou… / E organizou o cartel do alto-astral. / Você que nada e não morre na praia, / Você que é da gandaia, me diz, / Você que é do prazer, / Abra os seus olhos pra ver,  /  O lado iluminado do país // O Rio de Janeiro continua rindo, / É fevereiro e o Suvaco ‘tá na rua, / Até o Cristo lá do alto vem segundo, / Abraçando o sol, até beijar a lua. //Aqui, / Qualquer tostão faz uma festa, / Aqui, / Qualquer maluco é cidadão, / Aqui já ‘tá tão bom, se melhorar não presta,  / Só falta consertar o resto da nação. // Valeu, / Lavar o verde e o amarelo, / Valeu, / Atravessar noventa e dois, / Me beija, / Me dá um gole de cerveja, / E o resto deixa pra depois. // É bundalelê / É bundalalá / Vou no vácuo do Suvaco, / Até onde me levar, // É bundalelê / É bundalalá / Juntei a tribo, / E ‘tô aqui pra anunciar… // Que o suvaco chegou… / LENINE, BRAÚLIO TAVARES] # 14. Mote Do Navio [Lá vem a barca / Trazendo o povo / Pra liberdade / Que se conquista // Venceu dragão do mar / Lá vem a barca /Venceu a tempestade /Lá vem a barca / Trouxe pra nossa casa / A força da mocidade //Lá vem a barca… // Pode chover balaço / Lá vem a barca /A noite amanhecer /Lá vem a barca / Marujo não descansa /Enquanto o povo perder // Lá vem a barca… // Plantar felicidade /Lá vem a barca /Na vida da nação /Lá vem a barca / É coisa de poeta / Navega na contra-mão // Lá vem a barca… //O mar não tá pra peixe /Lá vem a barca / Que some no vazio / Lá vem a barca /O mundo canta comigo / No mote desse navio //Lá vem a barca… / PEDRO OSMAR]

o-dia-em-que-faremos-contato

2 Respostas to “o dia em que faremos contato?!”

  1. gabi Says:

    lenine pra lavar a alma?

    Curtir

  2. gabi Says:

    saudades. quero meus chocolates essa semana…!

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: