Archive for outubro, 2009

tentei a tradução da tua nota

2009, outubro 21, quarta-feira

tentei a tradução da tua nota

talvez precisasse uma conversa aberta e honesta. destas de pai para filho, ou de amigo para amigo. onde não fossemos estranhos, alienigenas. este teu silêncio, rompido com gestos assim, a desmonstrar o que esta vida lhe cortou. tu não diz da dor que sentes, eu não ouso acessar a dor que levo – somos tão semelhantes. seguimos todos estranhos. tentando traduzir toscamente nossos dialetos comportamentais e afetivos.

ps: não fui me curar ainda. o que espero?

o poeta não pariu.

2009, outubro 20, terça-feira

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

eta gente GENTE BONITA
E INTELIGENTE TECENDO DESCASO
ESCARRO, ESCÁRNIO, POUCO CASO
PELO QUE É EVIDENTE…

o que é nítido aos olhos deste exausto poeta. que não pariu, e tão pouco partiu na empresa desta gente bonita e inteligente que cresce ao passo que apodrece tecendo descaso, escarro, escárnio, pouco caso, pelo que é povo.

O POETA NÃO PARIU. Engasgou. morreu.

———————-

não tenho podido sair de casa. ausenta-se alguma substância, que dá viço ao mouro e faz relampejar os olhos. o poeta jaz tímido e reservado. ansioso da ausência de gente e de que tudo terrivelmente termine logo. seu animo. sem saco.

“Digam-lhe que o tédio às vezes é mortal; respira-se com a mais extrema Dificuldade”

as vivências elementares

2009, outubro 13, terça-feira

aqui, na estante saltando aos olhos agora… enquanto não é noite e nem dia.

_9659cf657fa84f5ab7d7ebeed6d0d6cfad3f7fc4palavra cortada ao meio
no meio a palavra cortada
a palavra sem meio
só corte
Lindolf Bell
As vivências Elementares
p. 101.