o poeta não pariu.

2009, outubro 20, terça-feira

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

o poeta não pariu.
apenas estancou a dor
entre os ruídos do silêncio
[desta maioria].

eta gente GENTE BONITA
E INTELIGENTE TECENDO DESCASO
ESCARRO, ESCÁRNIO, POUCO CASO
PELO QUE É EVIDENTE…

o que é nítido aos olhos deste exausto poeta. que não pariu, e tão pouco partiu na empresa desta gente bonita e inteligente que cresce ao passo que apodrece tecendo descaso, escarro, escárnio, pouco caso, pelo que é povo.

O POETA NÃO PARIU. Engasgou. morreu.

———————-

não tenho podido sair de casa. ausenta-se alguma substância, que dá viço ao mouro e faz relampejar os olhos. o poeta jaz tímido e reservado. ansioso da ausência de gente e de que tudo terrivelmente termine logo. seu animo. sem saco.

“Digam-lhe que o tédio às vezes é mortal; respira-se com a mais extrema Dificuldade”

0 (1)

%d blogueiros gostam disto: