Archive for novembro, 2009

«haja o que houver»

[qua] 25 de novembro de 2009

“Oi meu querido amigo!
Fico feliz que tenhas lembrando, eu tb nunca esqueço
“Haja o que houver”! rsrs sempre lembrarei dos momentos
bons, de amigos verdadeiros que basta apenas um gesto,
uma palavra, um sorriso….e podemos compreender seus pensamentos
seus momentos de felicidade e de tristeza.
Compartilhar poemas tristes, poemas alegres,…
Sinto saudade de momentos como aqueles, em que as horas passavam sem
perceber… Em que o sol, o verão tinham um gosto todo especial,…
Era uma força que brotava dentro de mim e que me fazia esperar sempre por momentos como aquele… Um carinho que vem de dentro como a força da natureza e nem o tempo é capaz de apagar uma amizade tão bonita.
O tempo pode ser cruel para muitos, mas para uma amizade verdadeira ele vai muito além do presente, dos minutos, ele ultrapassa os dias, os anos, a eternidade, “haja o que houver” 😉
Tudo de bom!
Grande bjo!”
Gi

____________

Depoimento/recado de Giselli Ventura.

como

[qua] 25 de novembro de 2009

lembrando de ontem. e não importa tanto o “porque” (que é mais um tatear no escuro), e sim o “como”.

me diz como?

iná

[ter] 24 de novembro de 2009

dia de terapia.

e uma poesia brotou assim:

tua saia dançando.

escrevo tua boca nestas páginas

nossos dedos discursam poesia pouca

nossas pernas enchem de nudez o mundo todo

encerro esta flor

com uma brisa

de tuas folhas.

ufsc. 24 nov. 2009.

a valorização do produto e não do processo

[sex] 20 de novembro de 2009

a valorização do produto e não do processo.

a alienação da nota, a coisificação/quantificação do saber. como se o conhecimento pudesse ser mensurado em um produto final. como se o conhecimento fosse enfim esse produto final, mas entendo este produto como parte, uma pequena parte do processo. uma das sistematizações possíveis, individual ou coletivamente de um conhecimento polifonico, plural e precário.

Proposta é que coloquemos…

disciplina experimental

[qui] 19 de novembro de 2009

1. disciplina experimental: …

2. “levando as idéias para passear”.

3. o conhecimento é processual e coletivo…

e em algum momento do dia…

4. “és uma faca por demais afiada em mim”.

precariedade

[qua] 18 de novembro de 2009

Entrega da documentação para o concurso para professor ACT estadual. etâ mundo cão!

L'armata Brancaleone

[ter] 17 de novembro de 2009


última aula de metodologia de ensino de ciências sociais.

“Creio que a participação nas aulas deixou a desejar, e muito, se partir das minhas expectativas no inicio do semestre. Mas olhando com mais cuidado, após percorrer este caminho – e perceber que apesar de supor muitas coisas, e confirma-las em sua maioria, muitas outras me passavam a margem (…). “Mas essa dificuldade de entregar as atividades no horário é algo grave. traduzindo para um nota, e como penso que a nota é apenas uma formalidade burocrática, 5,75 me bastaria. (…) e penso que no grupo ficou forte a compreensão que relatório e a pesquisa serviram muito mais para aprendermos com a realidade (que envolve coisas que não dominamos e que estão num ambiente social complexo) do que simplesmente para um nota final positiva… o desafio agora é dar o retorno para a escola, elemento que ainda não sentamos para definir como será, mas há boas idéias.” (enviado dia 29/11)

da violência cotidiana

[ter] 17 de novembro de 2009

dia de terapia

tudo ao redor é violento.

o tempo todo todos estão me violentando nesta alienação de si mesmos e do que é verdadeiramente humano. me sinto cansado de tudo e todos. e com um pouco de raiva.

à chuva

[seg] 16 de novembro de 2009

como se estivesse nascendo. tal qual este sol e esta gente, me sinto bem. levemente uma mínima confiança ressurge. todavia escrever ainda não é fácil. vou ao lado do sol à chuva.

dia lindo. inútil.

nas manhãs do sul do mundo

[qui] 12 de novembro de 2009

Quando os discursos ganham corpo e face,
com suas cores e linhas.

a porta range
o mar marejado, canta seu canto de marola,
chuá, como a mão do trabalhador

***

quem sou eu:
Pode ser um sonho louco, mas eu vou achar em algum lugar desta federação alguma substância estranha que substitua a dor no coração e mate esta vontade de voltar.” (Daniel Lucena)

Chega de saudade” (Tom e Vinícius)

%d blogueiros gostam disto: