Archive for novembro, 2010

talkin’ cure

2010, novembro 29, segunda-feira

«o inconsciente estruturado como uma linguagem…»

«tirar da pessoa a irresponsabilidade do que ela está dizendo. não há nada além da palavra… ‘o desabonamento do inconsciente’.»a pessoa é o seu sintoma. pessoa se dar conta de sua existência como sintoma indecifrável. ou seja, eu não sei o que é, mas terei que lidar com isto. devo inventar algo sobre isto, e me responsabilizar sobre o que inventei. mais ou menos lacan, na segunda clínica.

da aula de hoje.
***
abri minha casa. como é estranho isto. permitir um olhar outro que não este. mas que olhar, e olhar-outro, é (são) este(s)?

maxresdefault.jpg

2010, novembro 27, sábado

A maior riqueza do homem é sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como sou eu não aceito.
Não aguento ser apenas um sujeito que abre as portas, que puxa as válvulas, que olha o relógio, que compra o pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora, que aponta o lápis, que vê a uva etc etc.

Perdoai. Mas eu penso ser Outros.
Eu penso renovar o Homem usando borboletas.

Manoel de Barros

manoel-de-barros

um mergulho

2010, novembro 25, quinta-feira

de ontem. lembrei disto hoje, pela tarde. e é mais ou menos assim: “o discípulo e o mestre caminhavam juntos. defronte ao rio, o discípulo pergunta ao mestre zen: qual a profundidade deste rio, mestre? e este… zap, tchibumm. empurra o discípulo”.

e de hoje. para refletir. ‘o outro não é um perigo’.

«acho que você não percebeu que o meu sorriso era sincero, sou tão cínico às vezes o tempo todo estou tentando me defender…» Esperando por mim, Legiao Urbana.

notas:

40 Koans

YU (METÁFORA)

_5ee7b430fbbc398e87e533b684850eb3c510fa96