Archive for abril, 2011

natty narwhal

2011, abril 29, sexta-feira

Jorge Drexler – I Don’t Worry About A Thing e Ubuntu 11.04 Natty Narwhal.

e um dia despretensioso.

westminster e o colchão

2011, abril 29, sexta-feira

para não me esquecer do teu gosto, registro que enquanto o casal real entrava na abadia de westminster… eu acordava, colado ao teu corpo, ambos gozados, no colchão surrado e estirado sobre o chão.

dropar

2011, abril 28, quinta-feira

«não tenho a força que tens e se me vejo infeliz quase sempre exijo um talvez…» e um abraço curou tudo. como é diferente esse tempo que faz um gritar, agredir e constranger, e o outro, apesar do mesmo sofrimento que recebe, ainda ter tempo para um abraço e para dizer «calma, tudo passa. tudo tem jeito nessa vida porque a vida é assim».

e a porrada de segunda me deixou tonto e com a moral baixa e eu fiquei por algumas horas sem saber onde era o chão e o que fazer – se tentava revidar ou se aceitava. Depois de algumas horas consegui levantar e pegar a estrada na terça e quando volto – após um pedal cheio de adrenalina, belas fotografias e com prazer –  levo outra porrada bem no ego.

na terça fui à lona e só percebi que perdi e o que perdi na quarta, depois deste abraço.

perdi o que ficou ali no tempo… perdi o que podia ter feito e não fiz. perdi meu tempo e o tempo de outros. perdi porque não sabia e não podia fazer diferente… mas o que virá não é perdido [todavia entendo que perder é da própria da condição do existente – tudo muda o tempo todo como um onda no mar já diz o zen]… ou para ser mais preciso… o que virá já [ou ainda] não foi perdido… o que virá está em aberto e neste devir que devo me concentrar… evitar o drama e esperar, mas não numa espera sem entrega… mas devo mergulhar nessa espera do momento certo de dropar a onda.

essa espera de hoje é parte do mergulho de amanhã, da remada de mais tarde, do prazer de estar sobre a onda e do sufoco de sequências de «vacas» na cabeça. ânimo, que os dias são longos e a vida vale a pena e o mergulho profundo.