filosofant

[seg] 19 de dezembro de 2011

18.12

7:16 Ah! Vamos lá…  Banhar-me, desjejuar e ir-se.

8:13. E quem diria que já estou aqui…

8:17. Vou caminhar até lá…

8:35. Invisto-me nesta armadura de ignorância e atravesso todo este caminho repleto de tranquilidade.

10:00

“(…) O documento é monumento. Resulta do esforço das sociedades históricas para impor ao futuro – voluntária ou involuntariamente – determinada imagem de si próprias. No limite, não existe um documento-verdade. (…) Cabe ao historiador não fazer papel de ingênuo. (…) é preciso começar por desmontar, demolir esta montagem, desestruturar esta construção e analisar as condições de produção dos documentos-monumentos.” Jacques Le Goff. Em “História e Memória”.

11:06

“(…) Um verdadeiro estímulo da vida humana é a alegria do amanhã. Na técnica pedagógica esta alegria do amanhã é um dos objetos mais importante do trabalho. Primeiro, é preciso organizar a própria alegria, fazê-la viver e convertê-la em realidade. Em segundo lugar, é necessário ir transformando insistentemente os tipos mais simples de alegria em tipos mais complexos e humanamente significativos. Aqui existe uma linha muito interessante: da satisfação mais simples até o mais profundo sentimento do dever. (…) O mais importante que nos habituamos a valorizar no ser humano é a força e a beleza. Tanto uma coisa quanto a outra determina-se na pessoa exclusivamente pelo tipo de atitude que ela assume em relação ao futuro. A pessoa que determina seu comportamento em relação ao futuro mais imediato é a pessoa mais fraca. Se ela se satisfaz só com a sua própria perspectiva, ainda que seja em longo prazo, é capaz de ser forte, mas não nos despertará a sensação de beleza de personalidade e do seu verdadeiro valor. Quanto mais ampla é a coletividade cujas perspectivas se identificam com as perspectiva pessoais do indivíduo tanto mais nobre e belo é este último. (…) Educar um ser humano significa formas nele capacidade que possa escolher vias com perspectivas. A metodologia deste trabalho consiste em organizar novas perspectivas, em utilizar as existentes, em colocar, pouco a pouco, outras mais elevadas. (…) Pode-se começar com um bom almoço e com uma ida ao circo, mas é preciso sempre animar toda a coletividade pela vida e gradualmente alargar as suas perspectivas, enaltecê-las até o nível dos objetivos de todo o país. (…) Os fracassos em muitas instituições infantis se devem às perspectivas fracas e mal definidas. Mesmo em instituições infantis bem equipadas não se conseguirá um bom trabalho e disciplinas se não traçarem perspectivas claras. Anton Semionovich Makarenko. Em “Metodologia para a organização do processo educativo”.

21:33 De trinta pontos possíveis fiz dezoito. Eram dezenove, mas errei a notação no gabarito na questão vinte e um. Agora é esperar dia vinte e nove e descobrir se estou entre os vinte e quatro ou os trinta e quatro. Se é que entre este cinquenta e oito alguém não tenha faltado e esteja entre os dezoito por cento de abstenção.

19.12

11:44 Fiz matricula. Plano A é dar aulas, quarenta horas talvez; Plano B é o curso técnico; Plano C é retorno à graduação para estruturar projeto para pós. Nenhum exclui os demais, é apenas ordem de foco.

12:07 Mate, e um passeio cerro acima com as cãs.

13:50 Encontro um filho que não sabe voar ainda. Pegamos para cuidar já que o ninho é muito alto e há gatos cá. Que aflição, que fragilidade.

14:23 Subo na árvore.

20:52 Não terminei a obra, amanhã cedo continuo a serrar e pregar.

21:49 Uma árvore enorme caiu. Que susto.

23:30 Os Cães da Catalunha. Gossos cantados por Jorge Drexler. Não encontrei a versão original cantada pelos Gossos. Drexçer não sai de minha lista sonora.  Club Tonight /// Aquesta vegada no puc més i he deixat de treballar. / M’he passat tota la vida escombrant milers de carrers / i avui no puc més i he deixat de treballar.No em fa falta cap motiu, avui ho he vist molt clar / el meu temps ja ha arribat després de seixanta anys. / Jo vull dir-te que nena, quedem-nos en el Club Tonight / que et canto una canció d’amor… // Jo vull dir-te que nena, quedem-nos en el Club Tonight / que demà es Festa Major, per tu i per jo… // Invertiré tota la pensió un fons de benestar personal / me’n vull anar a fer-te una visita. / El mar i el cel per fi, potser no lluny d’aquí trobaré els amor perduts / que han inspirat tantes cançons genials. // Jo vull dir-te que nena, quedem-nos en el Club Tonight / que et canto una canció d’amor… / Jo vull dir-te que nena, quedem-nos en el  Club Tonight / que demà es Festa Major, per tu i per jo…

23:44 Esta anotação ainda não existe. É apenas uma idéia. Um rascunho… Esta canção, aleatoriamente me leva a recorda um filme visto por estes últimos dias. mammuth.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: