Archive for abril, 2012

morrer é uma lei da vida

[dom] 29 de abril de 2012

quando o seu interlocutor: não existe. não há o diálogo. ficas transbordando em vontades de: dizer como é estar só ou como é uma ilusão pensar que viver é indolor. ouves ininterruptamente todas as músicas e não brota de ti nenhum verso, nenhum sentido profundo… apenas vagas imagens que evaporam antes de serem tocadas… névoa.

não vais transformar o mundo. tuas palavras titubeiam. o coração é torrão. desertas até quando chove… abjuras.

quando seu interlocutor: não existe. não há locução. fica submerso o pensamento sem ruído ou língua. é estar só. é retorno ao estado de sozinhez, essa estranha viuvez antes do amor. ouves insistentemente a poesia ali de fora e aqui são flores mortas no vaso, nenhum sentido fundo… apenas vagas, ondas, que desistem antes de partirem-se tocadas na queda.

é imenso mar o mundo. tuas palavras cambiam. o coração é terra seca… é grão esperando chuvas.

***

abandonei este blog. abandonei quase tudo. não me reconheço. é essa paciência impaciente ou seu inverso.

 

todo

[seg] 23 de abril de 2012

guardado. fico lá o dia todo. só alguns seres próximos estiveram… foi assim que ficou. lá. o dia. todo.

nem ontem nem amanhã. água fria. noite. noite. noite.

12:22

[dom] 22 de abril de 2012

A casa ‘tá uma bagunça. Eu só tenho arroz integral. Estou em greve. E há um vento sul lá fora com toda sua estética e provocando essa temperatura aparente… frio lá fora, frio aqui dentro. Falta prazer… Falta grito, falta poesia… Falta transbordo.

almoçando em casa

[seg] 2 de abril de 2012

Escrevendo pouco por cá. Escrevendo pouco no geral. Estudar e preparar as aulas toma tempo… Corrigir as atividades dos alunos também.

E segunda-feira pela tarde em casa… mas isto me custou incríveis três horas e vinte minutos – uma hora e e vinte na ida, e outras duas horas no retorno… para percorrer apenas 70km. Sendo que fiquei na escola 4 horas e 40 minutos ao todo, entre intervalos e 3 horas e 45 minutos em sala. E terei que percorrer os mesmos 70km para dar duas aulas… Uma canoa e eu chegava mais rápido.

Ainda bem que só falta terça e quarta. Aff.

Preciso aprender a dormir cedo no domingo. Isto de dormir três horas é infernal, e na manhã ter que dar aula…

A vida vai lenta… Seguindo certo ritmo. Já consigo identificar 80% dos meus alunos pelo nome. Não fiz nenhuma prova até agora e em varias turmas nem farei.

Engraçado como bate aquele frio na barriga toda semana… E depois de meia aula ou umas duas aulas… Tudo fica mais claro. É até aquele momento de descobrir como… Você tem uma idéia, uma expectativa… E depois da prática… O dia engrena.

%d blogueiros gostam disto: