Archive for setembro, 2012

04:46

[seg] 24 de setembro de 2012

04:46. o mate é amargo.

sempre na ultima hora. hoje é dia de fechar notas e conselho de classe. madrugada sem dormir… mais uma.

ouço drexler, jara e havana social club.

 

esse tempo voa.

quem vem lá

[seg] 17 de setembro de 2012

Preta…

Quem vem lá?

Dragão Azul

Sementes de Garapuvu.

Trabalho nos domingos e agora deu vontade de deixar tudo para lá… Amanhã dirá: é vontade assim de improviso.

E ninguém faz ideia.

Sou um bruxo (um tanto udo, barrig’e’barb

SEGUNDO TEMPO:

“Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me traz o seu sossego
Atrasa o meu relógio
Acalma a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa.

A lógica do vento
O caos do pensamento
A paz na solidão
A órbita do tempo
A pausa do retrato
A voz da intuição
A curva do universo
A fórmula do acaso
O alcance da promessa
O salto do desejo
O agora e o infinito
Só o que me interessa.”

É o Que Me Interessa, Lenine

e vai chover o céu todo! ‘bora dormir que as cinco preciso estar de pé.

***

LENINE – Ninguém faz ideia, Composição: Ivan Santos / Lenine

semtítulo

[sex] 14 de setembro de 2012

noutro dia escrevi um poema. não escrevi. pensei. pensei meio poema.

e o vento levou-o. as coisas ordinárias me levam e as extraordinárias ficam no vento. e ele leva.

bié. garapuvu. ipê. os pássaros voam. setembro voa.

essa rotina me mata.

sono… sono… sono…

[qua] 5 de setembro de 2012

domingo para segunda: três horas de sono. (média); segunda tarde: cochilo de meia hora (média); segunda para terça: quatro horas de sono; terça tarde: uma hora e meia de cochilo; terça para quarta: quatro horas de sono; quarta para quinta: quatro horas de sono… destruído, exausto, cansado, irritado, desanimado… quinta tarde: três horas de cochilo; quinta para sexta: dez horas de sono; sexta para sábado: dez horas de sono; sábado para domingo: oito horas de sono.

trinta

[dom] 2 de setembro de 2012

trinta. foi dia vinte um. pc novo quebrado no primeiro dia. espanto-me pensando: sou professor. frusto-me por me sentir um pouco incompetente ainda… gostaria de saber mais, arriscar mais, poder mais. mas o aprendizado é longo e lento. eu e izabel somos mais próximos. as vezes me observo e me sinto tão impotente… dou tão pouco para ela do tanto que gostaria. e esse sentimento é tão geral… sinto que estou dando tão pouco [e que sou tão pouco] perto do tanto que gostaria de dar para todos… trinta, tantas conquistas e tantas por conquistar.

estou um caos, e apesar de já estarmos no segundo semestre e agora sim poder dizer que tenho uma noção mais próxima de como o tempo escorre entre os dedos da mão e do que é necessário (planejar aulas, cuidar da casa, cuidar da saúde, passear para não enlouquecer etc.) ainda continuo um caos… é como se o fluxo do rio me arrastasse correnteza abaixo… vejo as margens e para onde o rio me leva… mas é respirar fundo e continuar remando porque esse rio vai longe. um fim, por enquanto, posto que é tarde e tem muita coisa pela frente neste domingo.

%d blogueiros gostam disto: