movimento dos barcos

2012, outubro 25, quinta-feira

hqdefault

E no meio de nossa conversa a canção começou a falar assim: “estou cansado e você também, vou sair sem abrir a porta e não voltar nunca mais desculpe a paz que lhe roubei e o futuro esperado que nunca lhe dei é impossível levar um barco sem temporais e suportar a vida como um momento além do cais que passa ao largo do nosso corpo não ficar dando adeus as coisas passando eu quero é passar com elas e não deixar nada mais do que cinzas de um cigarro e a marca de um abraço no seu corpo não, não sou eu quem vai ficar no porto chorando lamentando o eterno movimento dos barcos…

são tantas coisas…

terça, noite, quando o coletivo parou por segundos, sorri. foi como se fossemos cúmplices  tão cúmplices  e que outros jamais saberiam de nossa estranheza, de nosso desconhecimento mútuo, de nosso encontro tão efêmero  e tão cúmplice  sorri e eramos crianças.

e são tantas coisas…

cresço e sinto falta do teu corpo morena…

e são tantas tantas coisas…

http://www.youtube.com/watch?v=qVCL00o-a2I 

VINICIUS.001-1080x675.png

“Poeta, meu poeta camarada / Poeta da pesada, / Do pagode e do perdão  / Perdoa essa canção improvisada  /Em tua inspiração  /De todo o coração,  / Da moça e do violão, do fundo,  / Poeta, poetinha vagabundo  / Quem dera todo mundo fosse assim feito você  / Que a vida não gosta de esperar  / A vida é pra valer,  / A vida é pra levar,  / Vinícius, velho, saravá   // Poeta, poetinha vagabundo  / Virado, viramundo,  / Vira e mexe, paga e vê  / Que a vida não gosta de esperar  / / A vida é pra valer   / A vida é pra levar  / Vinícius, velho, saravá  / A vida é pra valer / / A vida é pra levar  / Vinícius, velho, saravá

Mesmo com toda a fama, com toda a brahma
Com toda a cama, com toda a lama
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa chama
Mesmo com todo o emblema, todo o problema
Todo o sistema, todo Ipanema
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa gema
Mesmo com o nada feito, com a sala escura
Com um nó no peito, com a cara dura
Não tem mais jeito, a gente não tem cura
Mesmo com o todavia, com todo dia
Com todo ia, todo não ia
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa guia
Mesmo com todo rock, com todo pop
Com todo estoque, com todo Ibope
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando esse toque
Mesmo com toda sanha, toda façanha
Toda picanha, toda campanha
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa manha
Mesmo com toda estima, com toda esgrima
Com todo clima, com tudo em cima
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa rima
Mesmo com toda cédula, com toda célula
Com toda súmula, com toda sílaba
A gente vai levando, a gente vai tocando, a gente vai tomando, a gente vai dourando essa pílula !
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: