épico

2013, abril 16, terça-feira

tédio meu amor, tédio.

sem sono e cansado – co’os olhos vermelhos e sem lágrimas.

falta grana, e tudo parece ser tão complicado.

são os projetos da casa que devem esperar. é a saúde que tu tem que administrar, teus dentes, teu peso, teu colesterol, tua preguiça, tua idade chegando e com ela todas essas dores pequenas e insuspeitas. são as contas tuas e dos teus que tu controla e organiza agora, afinal chegou tua hora de administrar as coisas complicadas da família e teu pai te deixou tanto pepino para tu arrumar – e falta tanta grana nessa vida subproleta e não é de um dia para o’utro p’ra pagar tudo e deixar nos conformes. é, a vida leva tempo – nos vários sentidos.

é tua filha crescendo e tudo que tu dá ainda é pouco… sempre fica aquela sensação que tu não dá o bastante, que tu poderia mais… tu queria tanto para ela. é, tu não pensou, tu não planejou… tu nem queria, mas ‘tá ai – e é gente, não tem como fugir. se não amar vai ficar um buraco e um medo danado deste que tu carrega no peito. assim num sobra outro jeito que este: reinventar-te.

e são as aulas… e essa tua bagunça mental, tuas digressões que mais complicam do que possibilitam a claridade. tu é um cara estranho. e muitos estão nem ai que as vezes dá uma impotência danada.

e é essa preguiça toda de viver amor, de viver amor. mantendo tudo quietinho, sem mexer, porque pode tudo desandar e ai… ai, será que há algo além?

mas também há o outro lado.. das coisas que se fazem no cotidiano, no cuidado dos próximos, gentes ou coisas, flores, plantas, palavras… bichos, borboletas, caracóis, minhocas, mosquitos, pássaros… a vida é tão cotidiano.

MAS HOJE ME IRRITA ESSA MINHA BAGUNÇA, ESSA DIFICULDADE ABSURDA DE AGIR OU AO MENOS PENSAR MAIS LINEARmente… TUDO É TÃO ALEATÓRIO… COMEÇO AQUI E NÃO TERMINO E JÁ VOU PARA LÁ E DEIXO TUDO MEIO ABERTO OU FECHADO E JÁ ESTOU NOUTRO PONTO FAZENDO OUTRA COISAS QUE NEM SEI COMO CHEGUEI E AQUELA QUE FICOU ANTES DA PRIMEIRA NEM SEI… NEM SEI… PAREÇO BARATA TONTA PRESA NO MESMO PONTO. Neste de não ter certeza e sentir cansaço. É essa bosta do capitalismo… E não resta outra coisa além da cova, mas no meio do caminho ou luta e nisto há sentidos e braços ou … essa alternativa não é viável [não é alter]. 

“Ai, meu Deus do céu,
vai ser sério assim no inferno!”

Complexo de Épico – Tom Zé

tom

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: