a linguagem indireta e as vozes do silêncio

[sex] 4 de julho de 2014

«O primeiro desenho nas paredes das cavernas fundava uma tradição porque recolhia uma outra: a da percepção. A quase eternidade da arte confunde-se com a quase eternidade da existência humana encarnada e por isso temos, no exercício de nosso corpo e de nossos sentidos, com que compreender nossa gesticulação, que nos insere no tempo.» Maurice Merleau-Ponty

«A criatividade nasce de ações inseguras. Na insegurança máxima, você consegue atingir o máximo criatividade. Se ficar na esfera do seguro, fará mediocridades. (…) Trabalho para ser livre. E, para ser livro preciso me envolver em um projeto. Aí me libero do quê? Dos meus complexos, da minha preguiça, das minhas dúvidas de ser ou não criativo, inteligente o suficiente para fazer determinado trabalho. Temos que nos livrar dos complexos. Não é como dizer: vou sair de férias para ficar livre… De férias você não é livre! Você volta com ainda mais raiva do que antes, porque tem tempo para refletir sobre a falta de tempo livre. »
Oliviero Toscani.

e este: Sobre sete ondas verdes espumantes, de Bruno Polidoro e Cacá Nazario.

E o Brasil passou.

%d blogueiros gostam disto: