a coleira do cão

2015, setembro 19, sábado

um sábado diferente. um bom café, um papo e um planejamento matutino. um almoço delicioso no parque, com fundo de maracatu… e contatos com a cepagro e chuva para fechar o dia.

_c96f5771b456d8eb978f56c1aa567395eda87050o título é do livro do rubem fonseca. emprestado e lendo. e o barato foi que ele me remeteu ao poema que fiz na semana passada…

notas:

 

“eu vou para luanda… vou quebrar saramuná!”

http://blocodepedra.maracatu.org.br/noticias/vocabulario-de-maracatu/

http://quebrabaque.blogspot.com.br/p/nossas-loas.html

as vezes é preciso sair da zona de conforto e peregrinar. narrar as dores… e ver que o mundo tem mais cores. mas eu me sinto ainda uma criatura muito triste. um ser só, porque a solidão é algo lá do fundo… imensurável.

%d blogueiros gostam disto: