Archive for março, 2016

contrarrelógio

2016, março 28, segunda-feira

4h20′

e o feriado perdeu-se numa maratona com o mestre marco polo; dublai khan, o khan dos khans; e sifu, o cem olhos…

mas agora, poucas horas antes de voltar para a rotina… 10hs.

  1. plano de ensino
  2. planos de aula (3 – estados socialistas; 1 – augusto comte e o positivismo; durkheim e o método funcionalista; 2 – cultura e antropologia – do evolucionismo social ao estruturalismo; 3 – mulheres invisíveis e o feminismo.
  3. reunião conselho deliberativo
  4. tarefas de casa.

8h22′

ef642432-2a4a-4d4a-bd26-cb9fa87035f6«Na experiência do absurdo, o sofrimento é individual. A partir do movimento da revolta, ele ganha a consciência de ser coletivo, é a aventura de todos. O primeiro avanço da mente que se estranha é, portanto, reconhecer que ela compartilha esse sentimento com todos os homens, e que a realidade humana em sua totalidade, sofre com esse distanciamento em relação a si mesma e ao mundo. O mal que apenas um homem sentia torna-se peste coletiva. Na nossa provação diária, a revolta desempenha o mesmo papel que o cogito na ordem do pensamento: ela é a primeira evidência. Mas essa evidência tira o homem da solidão. Ela é um território comum que fundamenta o primeiro valor dos homens. Eu me revolto, logo existimos.»  Albert Camus, O homem revoltado, 1996 [1951], p. 35.

15h28”

 
«Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / Na vida, quem perde o telhado / Em troca recebe as estrelas / Pra rimar até se afogar / E de soluço em soluço esperar / O sol que sobe na cama / E acende o lençol / Só lhe chamando / Solicitando / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / O telefone chamou / Foi engano / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / E no meu descompasso o riso dela / Se ela nascesse rainha / Se o mundo pudesse aguentar / Os pobres ela pisaria / E os ricos iria humilhar / Milhares de guerras faria / Pra se deleitar / Por isso eu prefiro cantar sozinho / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / O telefone chamou, foi engano / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / E no meu descompasso passo o riso dela / Solidão…» TOM ZÉ
. ..
a cabeça dói. dormi demais/de menos. não terminei nada. nem comecei direito.  e que mania é essa de querer entrar em desespero…

o homem duplicado

2016, março 26, sábado

aquela aranha enorme… e «o caos é a ordem ainda indecifrada»

***

«quando esta atividade interna é cortada de repente, e você se encontra sozinho, na escuridão, é como… não esperava por isso. do que se trata? o que farei de agora em diante? eu acredito que nós controlamos nosso ambiente… ahhmm, vejamos, bem… na maioria das vezes, controlamos nosso ambiente, decidimos ir a algum lugar. mas uma vez que nos estabelecemos, eu acho que o nosso meio-ambiente começa a cobrar da nossa personalidade e dos hábitos e da maneira como pensamos no dia a dia. Somos criaturas sociais e precisamos interagir com outras pessoas… é por isso que nossos relacionamentos são tão importantes, tão cruciais para a nossa existência. porque se você não falar com ninguém, não interagir com ninguém, seu próprio senso da realidade fica muito distorcido.» 25’45” – 26’58”  220px-Angels_&_Airwaves_-_Love_film_posterLove (2011) 1h24min Drama, Sci-Fi. Diretor: William Eubank

***

outros filmes visto na maratona… chuva, cama, chocolate…

 

 

 

MoonPoster

Moon (2009) Reino Unido 1h37 min. Drama, Sci-fi.
Diretor: Duncan Jones

 

 

 

 

 

 

downloadThe Imitation Game
(2014)
1h54 min. Drama.
Diretor Morten Tyldum

 

 

 

 

Mission_to_Mars

Mission to Mars (2000) 1h54 min. Drama.
Diretor Brian De Palma

 

 

 

 

 

 

download (1)

The Age of Adaline (2015) Drama/Romance/Fantasia. 1h50min. Diretor Lee Toland Krieger

 

 

 

 

 

098358

 

Enemy – O Homem Duplicado (2013) Suspense. 1h30 min. Diretor: Denis Villeneuve

***

e parece que a chuva vai passar…

ato, atalho e vento…

2016, março 23, quarta-feira

coisas para ver…
Baraka [Ron Fricke, 1992]
e
http://atoatalhoevento.com/