contrarrelógio

[seg] 28 de março de 2016

4h20′

e o feriado perdeu-se numa maratona com o mestre marco polo; dublai khan, o khan dos khans; e sifu, o cem olhos…

mas agora, poucas horas antes de voltar para a rotina… 10hs.

  1. plano de ensino
  2. planos de aula (3 – estados socialistas; 1 – augusto comte e o positivismo; durkheim e o método funcionalista; 2 – cultura e antropologia – do evolucionismo social ao estruturalismo; 3 – mulheres invisíveis e o feminismo.
  3. reunião conselho deliberativo
  4. tarefas de casa.

8h22′

“Na experiência do absurdo, o sofrimento é individual. A partir do movimento da revolta, ele ganha a consciência de ser coletivo, é a aventura de todos. O primeiro avanço da mente que se estranha é, portanto, reconhecer que ela compartilha esse sentimento com todos os homens, e que a realidade humana em sua totalidade, sofre com esse distanciamento em relação a si mesma e ao mundo. O mal que apenas um homem sentia torna-se peste coletiva. Na nossa provação diária, a revolta desempenha o mesmo papel que o cogito na ordem do pensamento: ela é a primeira evidência. Mas essa evidência tira o homem da solidão. Ela é um território comum que fundamenta o primeiro valor dos homens. Eu me revolto, logo existimos.”  Albert Camus, O homem revoltado, 1996 [1951], p. 35.

15h28”

 
«Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / Na vida, quem perde o telhado / Em troca recebe as estrelas / Pra rimar até se afogar / E de soluço em soluço esperar / O sol que sobe na cama / E acende o lençol / Só lhe chamando / Solicitando / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / O telefone chamou / Foi engano / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / E no meu descompasso o riso dela / Se ela nascesse rainha / Se o mundo pudesse aguentar / Os pobres ela pisaria / E os ricos iria humilhar / Milhares de guerras faria / Pra se deleitar / Por isso eu prefiro cantar sozinho / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / O telefone chamou, foi engano / Solidão, que poeira leve / Solidão, olha a casa é sua / E no meu descompasso passo o riso dela / Solidão…» TOM ZÉ
. ..
a cabeça dói. dormi demais/de menos. não terminei nada. nem comecei direito.  e que mania é essa de querer entrar em desespero…
Historias de Amor e Morte

A única realidade é a Fantasia

O Quadro e o Risco

Blog sobre quadrinhos

Consultório Poético

Mariana Portela Weblog

marcelo labes

poeta & trapaceiro

verbiclara.wordpress.com/

LENGUA ESPAÑOLA, POESÍA Y MI GLORIOSA SANTA CLARA

COISAS SIMPLES

rita maltez

O Banheiro da Sereia

Quero expressar ao ejetar, escrever ao excretar

Alma Fuleira

Nas vivências in loco acreditamos que as capacidades criativas são mais aguçadas e gustativas.

Terminologia Atemporal

catártico, verborrágico, esquizofrênico

Filosofia Crítica

"Levar a filosofia às pessoas, levar as pessoas a filosofar." tiomas@yahoo.com

SOCIAIS & MÉTODOS

Ciências Sociais, métodos quantitativos, técnicas de pesquisa, R...

roger santana

poesia fora de moda

:: Dr. Pedro Gabriel :: Psicanalista

"A Psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor." (Sigmund Freud)

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

andradetalis

Jornalismo se faz com coragem e sonho

.:Hellfire Club:.

Um pandemônio.

bálsamo benigno

"a flor flore, o colibri colibrisa, a Poesia Poesia"

Blog da Boitempo

Aqui você pode encontrar informações dos livros e eventos realizados pela editora Boitempo. E, principalmente, pode interagir e ajudar na construção da editora que ousou ter uma cara e conquistou seu espaço produzindo livros de qualidade

Horizontes Afins

Este é o blog de Filosofia e Cinema e Afins de Cassiano Terra Rodrigues

Bateope's Blog

Just another WordPress.com site

chilliandmint.wordpress.com/

Herbs and Spices Rock My World

GFP Blog

Pass it on

escamandro

poesia tradução crítica

Jardim do Mundo

Sustentabilidade - Viagem - Estilo de Vida

Feisty Little Woman

Geek Girl with Attitude

Livro de Viagens

Crónicas de Marco Neves

IMAGEM CORPO

passagens entre linguagens

Feicibânquer

Prosagens de Wir Caetano no Facebook. Monlevabuçu (MG).

arquitetando

falando de história da arquitetura, do urbanismo e da arte

Gaveta do Ivo

Poesia & Tradução

O Ponto Dentro do Círculo

Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito. William Blake

vinteculturaesociedade

Uma perspectiva negra

Saracura

Design • Natureza • Arte

Filosofia Marxista

Os filósofos limitam-se a pensar o mundo, mas o que importa é transformá-lo.

Estereótipos

Os estereótipos e a psicologia social

Karina Kuschnir

desenhos, textos, coisas

Portal do Budismo

Budismo, Coisas Positivas da Vida e do Mundo

%d blogueiros gostam disto: