Archive for fevereiro, 2017

o carnaval acabou. fevereiro acabou

2017, fevereiro 28, terça-feira

o carnaval acabou. fevereiro acabou.

e eu cansei…

agora é dormir, descansar os pés.

que a quarta-feira de cinzas… será longa e terá trabalho docente.

mas antes que o mundo ali na frente chegue…

fiz o meu último (e único) poema desse carnaval

eu sou o homem que passou no tempo
a pés ligeiros me demorei anos
errei tantas vezes e mais vezes
e noutras apenas fui versos ao avesso, de improviso.

eu sou o homem que passou no tempo
em alguns momentos parei basbaque, sem rima
e mirei o mundo como um velho monumento
noutras flanei desmotando-me das dez mil coisas necessárias…

eu sou o homem que passou no tempo
das gravatas floridas, das casas amarelas,
das flores vermelhas, das pequenas grandes coisas da vida
e inesquecíveis – uma lágrima negra, um amor não vivido.

eu sou o homem que passou no tempo
entre mergulhos em amores agridoces,
e ressacas que dilaceram as víceras
e desnorteam qualquer cabeça, um bobo dessa corte.

eu sou o homem que passou no tempo
e as vezes grito pra não esquecer a minha loucura
noutras emudeço a tormenta que sou por dentro
e sendo assim, sou o que passou, um passista do carnaval que acabou.

há grilos no carnaval

2017, fevereiro 27, segunda-feira

há grilos no carnaval…

e eles cricrilam demais.

é quase ensurdecedor.

da rotina: pequenas melhorias na cozinha ok. faxina no quarto de visita, nope – tarefa de hoje à tarde. organização dos livros – nope. montar o rolo para bike… nope. por diário online em dia e montar o planejamento para entregar… não. e o que fiz até agora?

sábado e domingo, quarta temporada de vikings, listo.

máscara negra

2017, fevereiro 25, sábado

«Quanto riso, oh, quanta alegria
Mais de mil palhaços no salão
Arlequim está chorando
Pelo amor da Colombina
No meio da multidão» Zé Keti.

bloco dos sujos. não fui. relaxei a tarde inteira. sem aquele frissom de cair na folia. aproveitei para contempar, caminhar… tomar meu mate em paz. fazer as coisas sem pressa, sem pressão. lavar roupa amanhã. comida, só mais tarde. peladar, quem sabe. escrever ou planear as aulas… pra outro dia. olhei pra casa e pensei, comprar nada mais, apenas guardar um graninha para terminá-la.