Archive for outubro, 2017

aujourd’hui¹

[sex] 27 de outubro de 2017

aujourd’hui – bigflo & Oli

 

notas de rodapé.

¹ (Adverbe) Agglutination de la locution, autrefois pléonastique au jour d’hui où hui signifiait « en ce jour », comme le latin hodie dont il provient. Intégré dans la langue française approximativement au XVIe siècle. De nos jours, hui a disparu du français et le mot a perdu son caractère pléonastique. via fr.wikitionary.org

parada pedagógica – vícios e virtudes

[qua] 25 de outubro de 2017

foi um longo, mas um longo e proveitoso dia. o que é um fato um tanto raro nessas reuniões pedagógicas.

parcerias profissionais e afetivas e

trocas… complementariedade… plano de ação multi caminhando para interdisciplinar. não sei se estarei lá no próximo ano para implementar, mas levo esse momento comigo.

e o que me deu uma certa saudade das reuniões de laboratório de pesquisa, ou de centro acadêmico, ou de coletivo do m.e.

-> coisas comentadas… o que é ser estudante? local e global. territorialidade e identidade. multicultural. história de vida. autobiografia. portfólio, caderno de estudo. mapa socioeconômico e afetivo. leitura e interpretação…

coisas citadas ->

O Círculo. 2017 ‧ Drama/Filme de ficção científica ‧ 1h 50m. Direção: James Ponsoldt

 

 

 

Elysium. 2013 ‧ Drama/Filme de ficção científica ‧ 1h 49m. Direção: Neill Blomkamp
https://www.youtube.com/watch?v=6LUwv0in5eo

 

 

 

ps:

nota #1 – sobre trabalho/renda e compromissos… nada garantido ainda para ampliação temporária… por enquanto 20hs apenas como efetivo. enquanto a questões de dívida… a socialização de um colega me deixou mais tranquilo.

nota #2 – inscrevi-me num curso de comunicação digital para educadores… ead.

nota #3 – algumas coisas estão fluindo… articulação do grafite na escola… formação do núcleo do grêmio estudantil…

nota #4 voltar e editar (adicionar as tags e categorias). cansado demais para terminar agora.

guardar silencio y caminar son hoy día dos formas de resistencia política

[ter] 24 de outubro de 2017

os pensamentos que tanto me assombram quanto me assomam por estes dias poderiam ser sintetizados nesse título Desaparecer de sí: una tentación contemporánea. não li a obra, mas anotei aqui. parte de mim fala do processo de resistência que sou, e dos aspectos positivos. outra parte censura, por não encaixar-se. a primeira parte respira e sonha. a segunda buscar esconder-se…

então ‘bora caminhar e mexer o esqueleto.

abaixo, fragmento extraído de uma entrevista de David Le Breton ao diário de sevilha.

Guardar silencio y caminar son hoy día dos formas de resistencia política

«¿Es por esa calidad de resistencia por la que a quien camina sin rumbo se le tacha de loco?

Así es, y por eso el caminar, como el silencio, es una forma de resistencia política. A la hora de salir de casa y moverte te ves de inmediato intervenido por criterios utilitaristas que te aclaran perfectamente a dónde tienes que ir, por qué camino y en qué medio. Caminar porque sí, eliminando de la práctica cualquier tipo de apreciación útil, con una intención decidida de contemplación, implica una resistencia contra ese utilitarismo y de paso también contra el racionalismo, que es su principal benefactor. La marcha te permite advertir lo hermosa que es la Catedral, lo juguetón que es el gato que se esconde ahí, los colores de la puesta de sol, sin más fin, porque ése es todo su fin: la contemplación del mundo. Frente a un utilitarismo que concibe el mundo como un medio para la producción, el caminante asimila el mundo contenido en las ciudades como un fin en sí mismo. Y esto, claro, es contrario a la lógica imperante. De ahí la vinculación con la locura. » David Le Breton

Uma ótima tradução podes ver também no blogue Desenhares de Sílvio Diogo.

glow

[seg] 23 de outubro de 2017

há uma nota que diz: comentar glow. dia 22/10 até 23/10.

 

dora sonha

[qui] 19 de outubro de 2017

1h27 dora sonha agora sobre o tapete do quarto, enquanto ouço mikannn e gabriel gaspar falar sobre filmes e animes.

istanbul (not constantinople) ou a carcaça de soutine

[qua] 18 de outubro de 2017

sArtist: Trevor Horn Orchestra
From: Mona Lisa Smile OST

Istanbul (Not Constantinople) // Istanbul was Constantinople / Now it’s Istanbul, not Constantinople / Been a long time gone, Constantinople / Now it’s Turkish delight on a moonlit night / Every gal in Constantinople / Lives in Istanbul, not Constantinople / So if you’ve a date in Constantinople / She’ll be waiting in Istanbul / Even old New York was once New Amsterdam / Why they changed it I can’t say / People just liked it better that way / So take me back to Constantinople / No, you can’t go back to Constantinople / Been a long time gone, Constantinople / Why did Constantinople get the works? / That’s nobody’s business but the Turks / Istanbul (Istanbul) / Istanbul (Istanbul) / Even old New York was once New Amsterdam / Why they changed it I can’t say / People just liked it better that way / Istanbul was Constantinople / Now it’s Istanbul, not Constantinople / Been a long time gone, Constantinople / Why did Constantinople get the works? / That’s nobody’s business but the Turks / So take me back to Constantinople / No, you can’t go back to Constantinople / Been a long time gone, Constantinople / Why did Constantinople get the works? / That’s nobody’s business but the Turks. // Composição: Jimmy Kennedy / Nat Simon / They Might Be Giants

***

soutine3

Carcaça de carne – Carcass of Beef Soutine, Chaïm Óleo sobre tela | (sem data) Albright-Knox Art Gallery | Buffalo – Estados Unidos Dimensões da obra: 140,3 x 107,6 cm

***

3 horas dormidas. 12 aulas em sala. 3 aulas de hora atividade. 14h30 de escola. uma carona na manhã. um curta. dicas de filme pela tarde.  um pastel e um bate-papo… e na noite… e a minha paciência com o sorriso de monalisa chegou ao fim… cansei de ver 10 vezes o mesmo filme. mas é um filme que impacta… eles gostam, prestam atenção e o papo rende…

***

e em vários momentos do dia pensei várias coisas. uma delas é a como eu sou desorganizado, uma confusão… uma bagunça… oscilando entre tentar agradar e me encaixar nessa porra de sistema e do outro lado mandando tudo a merda, na minha caótica resistência.

mas guarda isso, no meio do teu caos, dessas coisas que aparentemente não fazem sentido… tu ainda encanta algumas dessas pessoinhas que passam pelo teu dia, e marca elas, e isto já basta. foi isto que te animou, é isto que te anima. ‘guenta rapaz! respira.

protocolos, máscaras e papéis

[ter] 17 de outubro de 2017

trilha de fundo: sinfonias #1, #2 e #3 de beethoven.

notas feitas: do seriado de sábado/domingo/ontem (mindhunter), a seguinte passagem…

«goffman viu a conexão entre os tipos de atos ou máscaras que as pessoas usam em suas vidas ou em apresentações teatrais. na interação social ou teatral há uma área no palco onde indivíduos ou atores, conforme o caso, aparecem perante a plateia. mas tem de existir os bastidores, um lugar escondido, onde os indivíduos podem ser eles mesmos.»

e para reavivar as leituras de e. goffman… entre as várias buscas, essa nota é muito interessante, vale a leitura> «as muitas faces de uma máscara: erving goffman» de leonardo m. alves

notas da manhã: professor online em dia até que enfim (ops quase… faltam 201/202 e 203). e zerando os rascunhos neste blogue (publicando o que der e o que não der… vai para o lixo. agora, contando com este, são 1.680 entradas, desde 1999).

notas da tarde… organizar as aulas dessa semana. e a dificuldade em manter o foco. pequenos movimentos de ansiedade. não passeei com dora desde quinta-feira. não vi minha filha desde sábado.

***

‘‘Uma pessoa não pode ser humana sozinha e, aparentemente, não pode apegar-se a qualquer identidade sem o amparo da sociedade.’’ A perspectiva Sociológica – A Sociedade no Homem; BERGER, Peter.(1976,p.108)

absenteísmo

[seg] 16 de outubro de 2017

por que as pessoas faltam?

chá, cama e repouso.

keep

[qua] 11 de outubro de 2017

A letra morta naquele quadro:

É minha.

registrei assim, no keep.

art. 206 e outros apontamentos avulsos sobre música e cinema.

[ter] 10 de outubro de 2017

das notas do dia…

#1 consciência de si… é preciso, de vez em quando fugir.

mudei [ou mantive – depende do ponto de vista] os planos, ou mesmo, adequei-os, as necessidades do dia. como o horário não mudou essa semana, como era esperado, eu mesmo mudei e faltei. dia de ato, dia de ruptura… de desobediência.

#2 conexões aleatórias e sem sentido.

me enrolo. me atraso. não me faço poema.” relendo essa frase hoje, me lançou direto para essa música aqui >> Saulo Fernandes e Paulinho Moska – Não Precisa Mudar

#3 ainda aguardando a valorização…

Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
I – igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
III – pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
IV – gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
V – valorização dos profissionais do ensino, garantido, na forma da lei, plano de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União;
V – valorização dos profissionais do ensino, garantidos, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
V – valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)
VI – gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
VII – garantia de padrão de qualidade.
VIII – piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos de lei federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)
Parágrafo único. A lei disporá sobre as categorias de trabalhadores considerados profissionais da educação básica e sobre a fixação de prazo para a elaboração ou adequação de seus planos de carreira, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)

 #4 trilha de fundo…

Liniker – Fim de Festa (Itamar Assumpção)

Ivan Lins – Deixa eu dizer ( Modo Livre, 1974).

Fim de Festa – Naná Vasconcelos e Itamar Assumpção

esse último vídeo com edição de Carol Mira, com fragmentos dos seguintes filmes:

Filmes em ordem de aparição: “Regen” – Joris Ivens (1929) “Limite” – Mario Peixoto (1931) “Emak-bakia” – Man Ray (1926) “La coquille et le clergyman” – Germaine Dulac (1926) “At land” – Maya Deren (1944) “Sunrise” – Murnau (1927) “L’Etoile de Mer” – Man Ray (1928) “Romance Sentimentale” – Aleksandrov e Eisenstein (1930)

#5 outras coisas…

Joris Ivens -> A chuva – Joris Ivens (Holanda – 1929); Joris Ivens – De Brug (The Bridge, 1928); Limite Mário Peixoto(Brasil – 1931); Não me Incomode ou Emak Bakia – Man Ray (1926)… O resto deixo pra quinta-feira…

 

%d blogueiros gostam disto: