Archive for janeiro, 2018

x cara do espelho

2018, janeiro 31, quarta-feira

não sei dizer exatamente o quê… mas há uma certa beleza em você. talvez sejam teus olhos vermelhos. e o calor na tua pele. esse teu corpo ardendo… e tua mente sempre em chamas. queimando tudo. e essas tuas mãos largas e de dedos curtos, ásperas pelo lavouro, cheia de cortes, calejadas… doídas, e que insistem em acrescentar linhas e parágrafos na arquitetura do tempo. é, há algo realmente de estupidez e de ingenuidade na humanidade tua. há um certo medo e há desejos. e tu é tão animal quanto os outros, que passam a vida dando nomes as regiões inóspitas de tétis, io e europa. e não devia haver espaço para a prosa, tampouco essas páginas e nem esses pensamentos. às vezes é nesse não sentido, nessa completa aleatoriedade cheia de significados e signos caóticos, nesse estar aqui, diante de ti, nessa montoeira de restos e ruínas, que a beleza se mostra… desproporcional, imensurável… como a consciência do animal sobre sua própria consciência, vã, vermelha, selvagem… espelhar.

 

***

ps: tenho trabalhado muito nesses dois últimos dias. tem sido duro e intenso. meu pai tem ajudado. desmontamos a última parte do telhado que restava e agora só falta receber a laje dia primeiro, e concretar em uma janela próxima… talvez no carnaval… carnaval e concreto, é um belo bloco…

there’s a bad moon on the rise

2018, janeiro 28, domingo

enquanto a tarde escorre… sigo jogando twilight struggle online. tentei, mas não consigo escrever nenhum poema. nesses últimos dias me enchi de dúvidas… . izabel está de mal comigo… deixei ela de castigo…

Johnny Cash - Hurt 
Creedence Clearwater Revival - Bad Moon Rising
  • lembrar de não deixar as questões alheias me tomarem
  • lembrar que tudo vai dar certo
  • lembrar que essa vontade de sumir e mandar todos para a lua… vai passar.

the blues have run the game

2018, janeiro 27, sábado

Blues Run The Game // Composição Jackson C. Frank // Catch a boat to England, baby / Maybe to spain / Wherever I have gone / Wherever I’ve been and gone / Wherever I have gone / The blues are all the same // Send out for whisky, baby / Send out for gin / Me and room service, honey / Me and room service, babe / Me and room service / Well, we’re living a life of sin // When I’m not drinking, baby / You are on my mind / When I’m not sleeping, honey / When I ain’t sleeping, mama / When I’m not sleeping / Well you know you’ll find me crying // Try another city, baby / Another town / Wherever I have gone / Wherever I’ve been and gone / Wherever I have gone / The blues come following down // Living is a gamble, baby / Loving’s much the same / Wherever I have played / Wherever I throw them dice / Wherever I have played / The blues have run the game // Maybe tomorrow, honey / Someplace down the line / I’ll wake up older / So much older, mama / Wake up older / And I’ll just stop all my trying // Catch a boat to england, baby / Maybe to spain / Wherever I have gone / Wherever I’ve been and gone / Wherever I have gone / The blues are all the same

***

acordei hoje ainda imerso num sonho. sentia o aconchego de um abraço e era tudo tão calmo e bonito. mas aqui fora arrefeço e sinto a dureza mineral. fiquei calado o dia inteiro. e de noite chorei incontroladamente…