Archive for agosto, 2018

a testada na pedra

[dom] 26 de agosto de 2018

um deslize, uma queda, um giro e a testada na pedra. tudo ia bem até as cinco e pouco… e num deslize… consegui me machucar dos pés até a cabeça, desde a frente do corpo, as laterais e as costas. os arranhões e cortes ardem, o nariz coça muito no ferimento causado pelo impacto de ter batido com a cara no chão e a testa vai levemente inchada,

fora o catarro com um pouco de sangue, tudo vai dentro do esperado.

e o domingo a noite que seria tranquilo, virou repouso e observação. segunda-feira começa cedo, com visita ao médico. que ótima semana. que excelente fim de mês.

i’m a cave man

[sex] 24 de agosto de 2018

Homem Primata / Titãs /// Desde os primórdios / Até hoje em dia / O homem ainda faz o que o macaco fazia / Eu não trabalhava, eu não sabia / Que o homem criava e também destruía / Homem primata / Capitalismo selvagem / Ô ô ô / Eu aprendi / A vida é um jogo / Cada um por si / E Deus contra todos / Você vai morrer e não vai pro céu / É bom aprender, a vida é cruel / Homem primata / Capitalismo selvagem / Ô ô ô / Eu me perdi na selva de pedra / Eu me perdi, eu me perdi / I’m a cave man / A young man / I fight with my hands / With my hands / I’m a jungle man, a monkey man / Concrete jungle! / Concrete jungle! // Compositores: Ciro Pessoa Mendes Correa / Jose Fernando Gomes Dos Reis / Marcelo Fromer / Sergio De Britto Alvares Affonso

***

1h31 ontem, faltei, dormi até uma da tarde, tomei banho de sol de uma hora, enquanto mateava, recebi visita, me senti melhor, e no final da noite até caminhei um km, ouvi jorge drexler, com seu 12 segundos de oscuridad antes de ganhar duas caronas seguidas.

estoque de serotonina reabastecido o suficiente para me deixar mais agitado…

***

01h38

Marx e Engels (1980, p.25):

A produção de idéias, de representações e da consciência está em primeiro lugar direta e intimamente ligada à atividade material e ao comércio material dos homens; é a linguagem da vida real. As representações, o pensamento, o intercâmbio intelectual dos homens surge aqui como emanação direta de seu comportamento material.

03h03 -> coruja canta lá fora… Leio David Harley.

4h11… eis que leio… A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo.

4h24… levantar em 1 hora.

 

a incontrolável necessidade

[qui] 23 de agosto de 2018

de controle.

irracional. trinta e seis e a mesma dificuldade sempre com as coisas, com as pessoas, com os compromissos… com a ansiedade.

perdi a vontade. estou incontrolável.

over everything

[ter] 21 de agosto de 2018

[Verse 1: Kurt Vile]
When I’m all alone on my own by my lonesome
And there ain’t a single ‘nother soul around
I wanna dig into my guitar bend a blues riff that hangs
Over everything

[Verse 2: Courtney Barnett]
When I’m by myself and it’s daytime cuz down-under
Or wherever it is I live when it’s evening
You know I speed-read the morning news and come up with my own little song also
…too

[Verse 3: Courtney Barnett]
When I step outside to a beautiful morning
Where the trees are all waggin’, my hair-flag waving
The scenery ragin’, my life/love cascading, and the smog hangs
Over everything

[Verse 4: Kurt Vile]
When I’m outside in a real good mood
You could almost forget bout all the other things
Like a big old ominous cloud in my periphery
Don’t wanna talk about it
Simultaneous I shout it

[Verse 5: Kurt Vile]
When I was young I liked to hear music blarin’
And I wasn’t carin to neuter my jams with earplugs
But these days I inhabitate a high-pitched ring over things
So these days I plug em up

[Verse 6: Courtney Barnett]
When I’m strugglin with my songs I do the same thing too
And then I crunch em up in headphones, cause why wouldn’t you?
You could say I hear you on several levels at high decibels
Over everything

[Verse 7: Courtney Barnett & Kurt Vile]
When I’m all alone on my own by myself
And there and another single one around I wanna dig into my guitar, bend a blues riff that hangs…
Over everything

às vezes você fecha os olhos…

[seg] 20 de agosto de 2018

às vezes você fecha os olhos…

e foi-se um minuto,

noutras, uma hora…

e em alguns momentos… o dia, o final de semana, o ano…

a década.

 

 

c¹⁷h¹⁸f³no

[sáb] 18 de agosto de 2018

dia de ir trocando a medicação.

recomendações: caminhar. ter amigos.

hoje, vi documentário: «mineira solitária»

abaixo: sinopse

Em 1982, uma mineira foi para São Paulo a trabalho, deixando para trás amigos e familiares. Sozinha na metrópole, ela escreveu um anúncio comovente em um jornal. Ao longo dos seis meses seguintes, quase 500 cartas chegariam à caixa postal mencionada na nota. Após 35 anos, o GloboNews Documentário revisita a história de Lourdes Lúcia Ribeiro e de pessoas que responderam ao seu chamado.

escrito e dirigido por Renata Baldi com a ideia original de Liliana Junger e produção de Antonia Martinho.

trilha de fundo: Tom Zé – Só (solidão)

texto interessante: A SOLIDÃO DEVORA 

não achei a dissertação «O espaço da solidão», de Lourdes Lúcia Ribeiro, do mestrado de psicologia da educação, da pucsp, orientada Joel Martins.

mas é só tristeza

[qui] 16 de agosto de 2018

parece cocaína mas é só tristeza, talvez tua cidade / muitos temores nascem do cansaço e da solidão / descompasso e desperdício / herdeiros são a glória da virtude que perdemos / há tempos tive um sonho / não me lembro, não me lembro // tua tristeza é tão exata / e hoje o dia é tão bonito / já estamos acostumados / a não termos mais nem isso / os sonhos vêm e os sonhos vão / o resto é imperfeito // disseste que se tua voz tivesse força igual / à imensa dor que sentes / teu grito acordaria não só a tua casa / mas a vizinhança inteira // e há tempos nem os santos têm ao certo a medida da maldade / há tempos são os jovens que adoecem / há tempos o encanto está ausente / e há ferrugem nos sorrisos / e só o acaso estende os braços / a quem procura abrigo e proteção // meu amor, disciplina é liberdade / compaixão é fortaleza / ter bondade é ter coragem / lá em casa tem um poço / mas a água é muito limpa // há tempos // legião urbana // composição: dado villa-lobos, marcelo bonfá e renato russo.

 

bora fazer uma lista do que é importante e porque eu não deveria reclamar…

mas também uma lista do que me faz mal…

e outra, das coisas que preciso mudar.

***

das releituras:

este abaixo e outros trechos do artigo Estado e Indivíduo sob o Nacional-socialismoIn: Marcuse, Herbert. Tecnologia, guerra e fascismo, São Paulo: Editora UNESP, 1999

«Chegamos ao final de nossa pesquisa inicial. Procuramos mostrar que a sociedade nacional-socialista tende a ser tornar o governo direto dos grupos sociais mais poderosos que conquistaram ou aboliram todas as instituições legais e políticas que se interpunham entre seus interesses particulares e a comunidade. Seu regime, longe de suprimi-lo, emancipou o individuo humano em seus instintos e aspectos mais sinistros. O nacional-socialismo não é uma revolução absolutista, nem socialista, nem niilista. A Nova Ordem possui um conteúdo bastante afirmativo: organizar a forma mais agressiva e destrutiva de imperialismo que a era moderna jamais viu»

salvo melhor juízo

[qua] 15 de agosto de 2018

01:47′ «a narração distingue e ordena. a descrição nivela todas as coisas» LUKÁCS, György

faltei, não fui trabalhar.

passei a tarde na biblioteca lendo os textos.

e vi o vídeo:

Mitos em torno da linguagem com Gabriel de Ávila Othero

dia de ler também: Gramatica descritiva do português de Mario Perini.

Roberto Reis: Cânon

Mary L. Pratt: Trecho sobre cânon/canonização

você é basicamente…

[ter] 14 de agosto de 2018

beba água.

tome sol.

você é basicamente uma planta com emoções complicadas.

trate-me leão

[sáb] 11 de agosto de 2018

hoje foi dia de plantar cymbopogon citratus.

e ver o doc sobre asdrubal trouxe o trombone.

%d blogueiros gostam disto: