Archive for the '01' Category

sujeito de sorte

2019, janeiro 1, terça-feira

SUJEITO DE SORTE -BELCHIOR

Letras
Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte
E tenho comigo pensado, Deus é brasileiro e anda do meu lado
E assim já não posso sofrer no ano passado
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte
E tenho comigo pensado, Deus é brasileiro e anda do meu lado
E assim já não posso sofrer no ano passado
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte
E tenho comigo pensado, Deus é brasileiro e anda do meu lado
E assim já não posso sofrer no ano passado
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Compositores: Antonio Carlos Belchior
download

sophia… who can it be now?

2018, dezembro 1, sábado

registro 350 de 1105 registros encontrados no sophia.
e dos 96 registros, encontrei 22 livros que já li.
se houvesse um forma de busca pelo código do livro… ajudaria um bocado.

***

Men At Work - Who Can It Be Now?
Belchior - Como Nossos Pais
Fagner - Canteiros
Belchior - Todo Sujo de batom
Belchior - Conheço o Meu Lugar
Belchior - À Palo Seco
Belchior - Divina Comédia Humana
Belchior - Alucinação
Belchior - Apenas um Rapaz Latino Americano
Raul Seixas - Ouro de tolo
Secos & Molhados - Flores Astrais
Zé Ramalho - Admirável Gado Novo
Secos & Molhados - O Patrão Nosso de Cada Dia
Zé Ramalho - Entre a Serpente e a Estrela
Zé Ramalho - Sinônimos
Secos & Molhados - Sangue Latino
Raul seixas- Metamorfose ambulante
Secos & Molhados - O vira
Raul Seixas - Maluco Beleza
Zé Ramalho - Chão de Giz
Secos & Molhados - Amor
Secos & Molhados - Primavera nos dentes
Secos & molhados - Fala

***

e vc termina ouvindo coisas sugeridas pela filha:

chloe moriondo – small

BTS ‘SPINE BREAKER’ MV

BTS (Bangtan Boys) Second Grade

chloe moriondo – best friend – rex orange county (cover)

chloe moriondo – untitled – rex orange county (cover)

ps: comprar um ukulele pra izabel.

***

Registro Devolução Obra
16302 01/04/1998 PORTELA, Fernando. Sete faces da ficção espacial. 3. ed. São Paulo: Moderna, 1992. 2 v. (Veredas). ISBN 8516006883.
15482 30/04/1998 TREVISAN, Dalton. O vampiro de Curitiba. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 1989. 107 p.
14710 10/08/1998 BLASCO-IBANES. Os quatro cavaleiros do apocalipse. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982. 223 p.
17527 11/12/1999 CAMPEDELLI, Samira Youssef. Poesia marginal dos anos 70. São Paulo: Scipione, 1995. 71 p.
17679 24/02/1999 CONY, Carlos Heitor. Quase memória. 25. ed São Paulo: Companhia das Letras, 1995. 213 p.
10756 30/03/1999 TORRES, Antônio. Essa terra. 7. ed São Paulo: Ática, 1986. 108 p. (Coleção Nosso Tempo). ISBN 85-08-00484-2.
17666 05/04/1999 BARRETO, Lima. Clara dos Anjos. São Paulo: Scipione, 1988; Ática. 124 p. ISBN 8500907037.
16634 14/04/1999 BETTO (FREI). O vencedor. São Paulo: Ática, 1996. 165 p. ISBN 85-08-06116-1.
15725 28/04/1999 TEZZA, Cristovão (Autor Principal). Trapo. 4. ed São Paulo: Brasiliense, 1994. 205 p.
18081 14/09/1999 CECHELERO, Vicente,1950-. Só matéria do mundo. São Paulo: Cortez, 1991. 134 p.
8737 22/09/1999 ANDRADE, Mário de. Obra imatura. 3. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1980; Ed. Itatiaia. 300 p.
17670 21/10/1999 AZEVEDO, Álvares de. Noite na taverna. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997. 73 p, 21 cm. (Biblioteca Folha, 13). ISBN 8500914696.
15938 08/11/1999 MERCOPOEMA: Quatro pátrias em estado de poesia. Porto Alegre: Alcance, 1995. 483 p.
17684 23/11/1999 ANDRADE, Carlos Drummond de. A paixão medida. 5. ed Rio de Janeiro: Record, 1998. 170 p.
14255 13/03/2000 BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. 11. ed São Paulo: Ática, 1993. 182 p. (Bom livro).
13138 27/04/2000 CALDEIRA, Almiro. A esperança, talvez. Porto Alegre: Tchê Ed., 1982. v. 1 . 117 p.
16412 11/05/2000 TELLES, Carlos Queiroz. Sete faces do conto de fadas. 5. ed. São Paulo: Moderna, 1993. 128 p. (Veredas). ISBN 8516008002.
14925 10/08/2000 WILLER, Cláudio. Jardins da provocação. São Paulo: Ed. Massao Ohno, 1981. 95 p.
12990 21/11/2000 BRADLEY, Marion Zimmer. As brumas de Avalon. Tradução de Waltensir Dutra. 3. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1985. 280 p. (Ficção e experiência interior).
17684 22/11/2000 ANDRADE, Carlos Drummond de. A paixão medida. 5. ed Rio de Janeiro: Record, 1998. 170 p.
18669 09/03/2001 ASSIS, Machado de. Coleção Machado de Assis em sua essência. 2. ed São Paulo: Rideel, 1996. v. 1.
15495 18/05/2001 BANDEIRA, Manuel. Os melhores poemas de Manuel Bandeira: seleção de Francisco de Assis Barbosa. São Paulo: Global, 1984. 175p. (Melhores Poemas). ISBN 9788575551028.
14099 07/06/2001 VARGAS LLOSA, Mario. Quem matou Palomino Molero?. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1986. 195 p.

p_20181130_022631-e1545958945570.jpg

o cinturão de van allen

2018, novembro 1, quinta-feira

por que não somos rosas? por que o céu é azul? o que nos move?

[ps: ñ ser tão pessimista, não tenha mágoa do mundo o tempo todo. tenha fé em si, vê o que há de bonito em você rapaz… sê bonito, vai, vê, não pode doer mais do que já há a doer]

notas:

Agrofloresta: Aprendendo a produzir com a natureza

*

44348362_10217531838182975_8441267520274432000_n

A vida é resultado da própria vida! A diferença entre as atmosferas de Marte e da Terra é a existência de vida na Terra! 
A atmosfera da Terra é uma mistura instável de gases. Ou seja, os gases são continuamente liberados como subprodutos dos sistemas vivos e reagem entre si. Sendo assim, a concentração dos gases se mantém, em função dos seres vivos, e, ao mesmo tempo, a concentração dos gases é favorável à continuidade dos seres vivos.  A Teoria de Gaia de James Lovelock e Margulis diz que a vida é resultado das condições do meio que é produzido pelos sistemas vivos em interação com os não vivos. Emanuel Trigo

 

Contra a sociedade de massas

«Este ensaio foi escrito pelo anarquista Chris Wilson, publicado na revista Green Anarchy n. 6, em 2001, e traduzido pelo Coletivo Erva Daninha. Trata-se de uma crítica ao autoritarismo inerente ao modo de vida civilizado».

***

«Grafias de Junho

Foi para buscar contribuir com o debate e a memória acerca de 2013 que comecei a catalogar a produção gráfica de mensagens políticas daquelas jornadas. Afinal, os períodos insurgentes permitem aflorar em suas rachaduras demandas urgentes, questões recalcadas, utopias, contradições e provocações que dizem muito sobre o país e o mundo em que estão inseridos.

Nas manifestações de junho, houve quem exibisse um cartaz em que se lia É tanta coisa que não cabe no cartaz. De repente, todos tinham algum pitaco a dar sobre a esfera coletiva. Um país marcado pelo déficit democrático foi tomado por uma febre opinionística que se assemelharia a uma grande assembleia – destituinte. Reacendia-se a tocha da autenticidade gráfica engajada, através de centenas de milhares de cartazes precários – expressões individuais de anseios coletivos. Cartazes que certamente não serviram de escudos contra os tiros da polícia e desapareceram em meio ao gás lacrimogênio; mas que foram capturados pelas câmeras de centenas de fotógrafos, profissionais ou amadores». Por Roberto Andrés

**

[editado: e dormi exausto sem publicar isto cá até o fim. deixei tudo nos rascunhos. acima coisas que ouvi e/ou  li]