Archive for the '25' Category

wide awake

2019, março 25, segunda-feira

i want to sleep but fuck it i’ll stay awake for one more day!

tenor.gif

6:47 AM · 25 de mar de 2019.

mentira… depois de retuitar isto, resolvi dormir até 11h32. e foda-se…

mateei, almocei e passeei com dora.

e a primavera deu broto.

2:43 PM. É… perdi o busão. Vou andar… depois de 1km, fui de executivo. e não é que cheguei no horário ainda. 15:30 Fonética e Fonologia do Português Brasileiro.

e o que eu mais tenho sentido é solidão. uma bruta solidão. essa nova ufsc é solitária. esse prédio central é tão menos acolhedor que o cfh… e eu preciso aprender a tomar café com as pessoas, a almoçar e jantar no ru com as pessoas… e estar com as pessoas. para sair dessa solidão. solidão. solidão. solidão. solidão.

devolvi o livro, depositei uns trocados para diminuir o rombo na cc, andei, pq andando você vai mais rápido do que se ficar na fila de automóveis… e devorei uma saltenha, uma coca espresso, um barra de alpino, um pacote de negresco… e um passatempo.

meu humor oscilou absurdamente ao longo do dia… pensamentos tristes, devaneios, angústia, medo, solidão, tristeza, irritabilidade… eu sou uma bomba solitária ambulante.

pensei em escrever um poema enquanto esperava… talvez usar aquela frase de outro dia sobre estar numa fila de lugar nenhum pra lugar algum e a mente/coração não sossegar no peito… estar arredio, disparada. o contraste entre o tempo perdido parado e a loucura que é a mente e o peito meu, nesse sufoco, nessa angústia. só pensei, não escrevi nada.

e consegui chegar… atrasei 5 minutos, mas dei as três aulas no noturno. sinto-me uma fraude, às vezes.

e comi uma montanha quando cheguei em casa… e fiz um chá, de capim limão, para baixar esse aperto no peito.

estou exausto… queria dormir pra sempre. queria sumir… queria não me sentir assim.

 

 

viva, com juízo, mas viva.

2019, março 25, segunda-feira

2h55 acabei de por em ordem o cronograma das aulas dadas e das que virão até o fim do trimestre… agora vou gastar uma meia hora preenchendo o profonline. e às 5 levantarei para ir à faculdade… cinco aulas pela manhã e mais 3 pela tarde. tentarei dormir umas duas horas pela tarde… onde? e pla noite tenho que ministrar mais 3 aulas em sala… não esquecer de reservar o data-show para terça-feira cedo.

mas ontem… foi um dia bom, fiz atividades. meu pai me ajudou a fixar o armário da cozinha… coloquei várias samambaias para dentro de casa… cavei, podei, plantei… suei. meu velho fez churrasco pela noite… e jantei metade do tempo com meu pai, metade do tempo com minha mãe… cada um na sua casa. e no final do dia, izabel chegou do aniversário de sua ex-meia irmã e veio me visitar… contou sobre seu dia… do seu estranhamento com a necessidade dos outros de acreditarem em deus, no deus?… e sobre sua paixão… izabel está apaixonada. ela está namorando? é tão estranho ser pai, mas não qualquer pai, ouço… dou conselhos… mas sobretudo, deixo disponível meus ouvidos e abraço, e digo… viva, com juízo, mas viva.

um galo canta ao longe.

04:01. ñ preenchi… e estou pensando em gazear as aulas de literatura portuguesa… e só chegar 9h10 no cce.

***

e fica para registro o canto do pássaro (Gaturamo Verdadeiro – Nome Científico Euphonia violacea) que fiquei admirando ontem, quando passeava com dora.

Gaturamo Verdadeiro - Nome Científico Euphonia violacea

 

o inverso de sansão

2019, fevereiro 25, segunda-feira

20190225_212027

21h20 quando vinha… pensava sobre meu cabelo, sobre cortá-lo. Pensando sobre porquê deixei o cabelo crescer… e todo este um ano e meio que se passou junto. [pesquisar data de último corte nos registros – para uma próxima edição]. Agora voltando… estou  enjoado. Fiquei assim alguns passos antes de entrar na escola. Lembro até do que pensei… parece que eu nunca entrei em um escola antes… tamanha minha ansiedade.

Respira. Respira. Inspira, solta devagar… você está indo pra casa.

***

e eu que achava que estava melhorando…

21:50 nota mental. trocar café por chá calmante.

21:52 exercício poético no busão 365

Embrulho / Engasgo / Aperto / Estorvo // Quase lágrima / Tudo embarga / Quem abriu as comportas do medo. // E porque logo agora… Abruptamente // Não queria ser triste / Nem submergir no lodo da dor / que dilacera o corpo ainda morno. Embrulho / Engasgo / Aperto / Estorvo