Archive for the '06' Category

a próxima aldeia

[sex] 6 de julho de 2018

notas da semana.

as professoras de história resolveram falar que estou acabado. olham para mim e dizem… como você está destruído.

e é nesses momentos em que estou realmente acabado, horrível, as pessoas sentem mais suscetíveis para falar de suas dores… e nessa nossa troca de dores, ela me disse que anda mal, angustiada… eu lhe conto de minhas dificuldades em viver. é assim, aparentemente não tem nada errado, tudo parece normal, mas a gente fica assim, com dificuldade para viver… se concentrar, ver sentido na vida.

*

mas ao menos tenho conseguido trabalhar, e do trabalho [meia boca] feito nas turmas… algumas meninas querem organizar um coletivo sobre gênero na escola, querem minha colaboração… e o rapaz, que escreveu na sua redação, me confidenciou, que o caso que ele narrou no texto, era a morte de sua mãe, pelo padrasto. me deu um aperto, um nó.

*

«Meu avô costumava dizer: “A vida é espantosamente curta. Para mim ela agora se contrai tanto na lembrança que eu por exemplo quase não compreendo como um jovem pode resolver ir a cavalo à próxima aldeia sem temer que – totalmente descontados os incidentes desditosos – até o tempo de uma vida comum que transcorre feliz não seja nem de longe suficiente para uma cavalgada como essa’». (Franz Kafka. “A Próxima Aldeia”, 1917.  tradução de Modesto Carone).

flesh and bone

[dom] 6 de maio de 2018

13h45

enquanto na outra tela vai rolando a founders’ cup of surfing, sento aqui para fazer o registro diário.

a 3ª temporada da série poldark finalizada. ainda sobrou tempo para ver talvez meu último filme [anon], direção de na netflix durante um bom tempo, já que cancelei a assinatura.

ainda faltam 7 provas para avaliar e digitar a nota.

e andei pensando… eu sei onde estou entrando, e sei que deve reagir e agir… e sobretudo, ter paciência e coragem para continuar respirando.

talvez andar mais, dar umas caminhadas… botar a bike para circular… encontrar amigos, mexer o corpo para chacoalhar a mente

e ser mais carne e osso.

***

«My insufficiency—whate’er you will:
I give the fight up: let there be an end,
A privacy, an obscure nook for me.
I want to be forgotten even by God.» Part V
Paracelsus Attains [1835], Robert Browning

«Somewhere, below, above,
Shall a day dawn—this I know—
When Power, which vainly strove
My weakness to o’erthrow,
Shall triumph. I breathe, I move,

I truly am, at last!
For a veil is rent between
Me and the truth which passed
Fitful, half-guessed, half-seen,
Grasped at—not gained, held fast».

Reverie, Asolando [1889], Robert Browning

***

Carne e Osso — Zélia Duncan & Paulinho Moska

A alegria do pecado / Às vezes toma conta de mim / E é tão bom não ser divina / Me cobrir de humanidade me fascina / E me aproxima do céu // E eu gosto / De estar na terra / Cada vez mais / Minha boca se abre e espera / O direito ainda que profano / Do mundo ser sempre mais humano // Perfeição demais / Me agita os instintos / Quem se diz muito perfeito / Na certa encontrou um jeito insosso / Pra não ser de carne e osso / Pra não ser carne e osso / Composição: Moska e Zélia Duncan

 

monkey pilots and ether

[sex] 6 de abril de 2018

com minhas olheiras monstruosas… meu sono constante. dei aula cedo, organizei a bagunça… e chegaram os livros, ou melhor… passei na saraiva para pegá-los. e veio a questão… como ler? como estudar? o desafio. reaprender a ser sistemático. dedicar tempo e método. e dessa semana de férias da faculdade que tirei por conta, tive um respiro, mas não desisti ainda. afinal… é para levar a graduação a sério e entrar no mestrado, num tempo médio…

***

mas hoje faltei, não quis correr. dei um foda-se…

trilha de fundo:

the comsat angels – waiting for a miracle.

1. “Missing in Action” 0:00 2. “Baby” 4:03 3. “Independence Day” 7:02 4. “Waiting for a Miracle” 10:49 5. “Total War” 13:47 6. “On the Beach” 17:36 7. “Monkey Pilot” 21:18 8. “Real Story” 25:43 9. “Map of the World” 29:29 10. “Postcard” 33:20 11. “Home Is the Range” 37:30 12. “We Were” 41:05

The Comsat Angels were an English post-punk band from Sheffield and Doncaster, England, initially active from 1978 to 1995.

gang of four – entertainment!

01. Ether (00:00) 02. Natural’s Not In It (03:50) 03. Not Great Men (06:57) 04. Damaged Goods (10:03) 05. Return The Gift (13:30) 06. Guns Before Butter (16:36) 07. I Found That Essence Rare (20:22) 08. Glass (23:37) 09. Contract (26:06) 10. At Home He’s A Tourist (28:47) 11. 5.45 (32:17) 12. Anthrax (36:01) 13. Outside The Trains Don’t Run On Time (40:26) 14. He’d Send In The Army (43:42) 15. It’s Her Factory (47:24) 16. Armalite Rifle (50:34)

Entertainment! is the debut album by English post-punk band Gang of Four, released in September 1979.

legião urbana – dois

1. 0:00 Daniel na Cova dos Leões 2. 4:00 Quase Sem Querer 3. 8:41 Acrilic on Canvas 4. 13:21 Eduardo e Mônica 5. 17:53 Central do Brasil 6. 19:28 Tempo Perdido 7. 24:30 Metrópole 8. 27:20 Plantas Embaixo do Aquário 9. 30:14 Música Urbana 2 10. 32:55 Andrea Doria 11. 37:48 Fábrica 12. 42:44 “Índios”

 

%d blogueiros gostam disto: