Archive for the 'Austregésilo Carrano Bueno' Category

o umbigo da lua (e narciso)

2018, novembro 29, quinta-feira

perdi-me neste labirinto. percebi uma certa conexão entre as três imagens aleatórias: um exoesqueleto alado de borboleta… uma folha seca do cafeeiro… um esqueleto de laboratório.

o quão tóxico sou?

acordei mal. sentindo-me mal. faltei pela manhã. não queria encontrar as pessoas… não queria ver gente.

***

o eu como reconhecimento… a imagem simboliza o próprio eu.

o eu é uma estrutura dual («pois eu é um outro»… um duplo de si mesmo, parceiro, simbólico).

subprodutos:

o eu ideal, aquilo que está por trás de todas as nossas máscaras? a solução imaginária.

o ideal de eu, instância simbólica… ser como x para desejar y.. ideais que nos regulam

***

«O déficit habitacional é a medida oficial utilizada para medir o problema da moradia no país. O Brasil em 2007 tinha 5,8 milhões de domicílios em déficit. Depois do maior crescimento da indústria imobiliária do país, o déficit aumentou para 6,3 milhões. O Chile não é diferente. Divulgado como o mercado imobiliário mais potente da América Latina o déficit habitacional no país se mantém em 2017 igual ao de 20 anos atrás. De outro lado, o Brasil possuía 7,9 milhões de imóveis desocupados e o Chile também apresenta duas vezes mais imóveis desocupados que o déficit. O problema, portanto, não é de déficit, de incapacidade produtiva ou de falta de moradias, mas de exclusão. O que temos é uma superprodução imobiliária excludente e que a maior parte das políticas apenas aprofunda. Em síntese: muita gente sem casa e muita casa sem gente». Vitor Hugo Tonin

Carrano – O bicho que nasceu para a eternidade (Direção Willian Ceará)

***

Qual a origem dos nomes dos países da América Latina?

mētztli é lua, xictli é centro e co é lugar.

e sobre a pareidolia:

«é melhor acender uma vela do que praguejar contra a escuridão». Adágio

«Os humanos, como outros primatas, são um bando gregário. Gostamos da companhia uns dos outros. Somos mamíferos, e o cuidado dos pais com o filho é essencial para a continuação das linhas hereditárias. Os pais sorriem para a criança, a criança retribui o sorriso, e com isso se forja ou se fortalece um laço. Assim que o bebê consegue ver, ele reconhece faces, e sabemos agora que essa habilidade está instalada permanentemente em nossos cérebros. Os bebês que há 1 milhão de anos eram incapazes de reconhecer um rosto retribuíam menos sorrisos, eram menos inclinados a conquistar o coração dos pais e tinham menos chance de sobreviver. Nos dias de hoje, quase todos os bebês identificam rapidamente uma face humana e respondem com um sorriso bobo.

Como um efeito colateral inadvertido, o mecanismo de reconhecimento de padrões em nossos cérebros é tão eficiente em descobrir uma face em meio a muitos outros pormenores que às vezes vemos faces onde elas não existem. Reunimos pedaços desconectados de luz e sombra, e inconscientemente tentamos ver uma face.» Sagan, Carl (1995). The Demon-Haunted World – Science as a Candle in the Dark (O Mundo Assombrado pelos Demônios). New York: Random House

o buraco do espelho está fechado

2016, agosto 3, quarta-feira

Transcrição/legenda de um fragmento do filme de Laís Bodanzky

maxresdefault (1)

O bicho de 7 cabeças.

00:44:06,115 –> 00:44:11,951
É preciso fingir. Quem é que
não finge neste mundo, quem?

467
00:44:12,455 –> 00:44:16,186
É preciso dizer que tá bem disposto,
que não tá com fome…

468
00:44:16,392 –> 00:44:20,454
é preciso dizer que não tá com
dor de dente, que não tá com medo…

469
00:44:20,664 –> 00:44:22,963
senão não dá, não dá.

470
00:44:23,201 –> 00:44:26,932
Nenhum médico jamais me disse
que a fome e a pobreza…

471
00:44:27,138 –> 00:44:29,664
podem levar a um distúrbio mental.

472
00:44:29,875 –> 00:44:34,038
Mas quem não come fica nervoso,
quem não come…

473
00:44:34,245 –> 00:44:37,409
e vê seus parentes sem comer
pode chegar à loucura.

474
00:44:37,616 –> 00:44:43,419
Um desgosto pode levar à loucura,
uma morte na família…

475
00:44:43,623 –> 00:44:46,717
o abandono do grande amor.

476
00:44:47,994 –> 00:44:52,591
A gente até precisa fingir
que é louco sendo louco…

477
00:44:52,800 –> 00:44:57,135
fingir que é poeta sendo poeta.

478
00:44:57,339 –> 00:45:00,172
Vai até ali e leia.

479
00:45:12,388 –> 00:45:16,587
O buraco do espelho está fechado

480
00:45:16,794 –> 00:45:20,696
Agora eu tenho que ficar aqui

481
00:45:20,898 –> 00:45:24,733
Com um olho aberto, o outro acordado

482
00:45:24,936 –> 00:45:28,429
No lado de lá onde eu caí

483
00:45:29,174 –> 00:45:32,439
Pro lado de cá não tem acesso

484
00:45:33,111 –> 00:45:37,105
Mesmo que me chamem pelo nome

485
00:45:37,316 –> 00:45:41,116
Mesmo que admitam meu regresso

486
00:45:41,321 –> 00:45:45,348
Toda vez que eu vou a porta some

487
00:45:45,559 –> 00:45:48,723
A janela some na parede

488
00:45:49,364 –> 00:45:53,061
A palavra de água se dissolve

489
00:45:53,434 –> 00:45:57,700
Na palavra sede a boca cede

490
00:45:57,939 –> 00:46:01,671
Antes de falar e não se ouve

491
00:46:01,911 –> 00:46:05,677
Já tentei dormir a noite inteira

492
00:46:05,881 –> 00:46:09,750
Quatro, cinco, seis da madrugada

493
00:46:09,953 –> 00:46:13,890
Vou ficar ali nessa cadeira

494
00:46:14,091 –> 00:46:17,492
Uma orelha alerta, outra ligada

495
00:46:17,695 –> 00:46:21,792
O buraco do espelho está fechado

496
00:46:22,000 –> 00:46:25,867
Agora eu tenho que ficar agora

497
00:46:26,103 –> 00:46:29,938
Fui pelo abandono abandonado

498
00:46:30,175 –> 00:46:33,771
Aqui dentro do lado de fora

***