Archive for the 'Carlos Drummond de Andrade' Category

estou preso à vida e olho meus companheiros

2019, janeiro 3, quinta-feira

Sentimento do mundoIMG_0303

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio de escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.
Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.
Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.
Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microscopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite.

***

Mãos dadas

IMG-20181210-WA0020-ANIMATION.gifNão serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista pela janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicidas,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente.

Andrade, Carlos Drummond de, 1902-1987.
Sentimento do mundo/ Carlos Drummond de Andrade

sophia… who can it be now?

2018, dezembro 1, sábado

registro 350 de 1105 registros encontrados no sophia.
e dos 96 registros, encontrei 22 livros que já li.
se houvesse um forma de busca pelo código do livro… ajudaria um bocado.

***

Men At Work - Who Can It Be Now?
Belchior - Como Nossos Pais
Fagner - Canteiros
Belchior - Todo Sujo de batom
Belchior - Conheço o Meu Lugar
Belchior - À Palo Seco
Belchior - Divina Comédia Humana
Belchior - Alucinação
Belchior - Apenas um Rapaz Latino Americano
Raul Seixas - Ouro de tolo
Secos & Molhados - Flores Astrais
Zé Ramalho - Admirável Gado Novo
Secos & Molhados - O Patrão Nosso de Cada Dia
Zé Ramalho - Entre a Serpente e a Estrela
Zé Ramalho - Sinônimos
Secos & Molhados - Sangue Latino
Raul seixas- Metamorfose ambulante
Secos & Molhados - O vira
Raul Seixas - Maluco Beleza
Zé Ramalho - Chão de Giz
Secos & Molhados - Amor
Secos & Molhados - Primavera nos dentes
Secos & molhados - Fala

***

e vc termina ouvindo coisas sugeridas pela filha:

chloe moriondo – small

BTS ‘SPINE BREAKER’ MV

BTS (Bangtan Boys) Second Grade

chloe moriondo – best friend – rex orange county (cover)

chloe moriondo – untitled – rex orange county (cover)

ps: comprar um ukulele pra izabel.

***

Registro Devolução Obra
16302 01/04/1998 PORTELA, Fernando. Sete faces da ficção espacial. 3. ed. São Paulo: Moderna, 1992. 2 v. (Veredas). ISBN 8516006883.
15482 30/04/1998 TREVISAN, Dalton. O vampiro de Curitiba. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 1989. 107 p.
14710 10/08/1998 BLASCO-IBANES. Os quatro cavaleiros do apocalipse. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982. 223 p.
17527 11/12/1999 CAMPEDELLI, Samira Youssef. Poesia marginal dos anos 70. São Paulo: Scipione, 1995. 71 p.
17679 24/02/1999 CONY, Carlos Heitor. Quase memória. 25. ed São Paulo: Companhia das Letras, 1995. 213 p.
10756 30/03/1999 TORRES, Antônio. Essa terra. 7. ed São Paulo: Ática, 1986. 108 p. (Coleção Nosso Tempo). ISBN 85-08-00484-2.
17666 05/04/1999 BARRETO, Lima. Clara dos Anjos. São Paulo: Scipione, 1988; Ática. 124 p. ISBN 8500907037.
16634 14/04/1999 BETTO (FREI). O vencedor. São Paulo: Ática, 1996. 165 p. ISBN 85-08-06116-1.
15725 28/04/1999 TEZZA, Cristovão (Autor Principal). Trapo. 4. ed São Paulo: Brasiliense, 1994. 205 p.
18081 14/09/1999 CECHELERO, Vicente,1950-. Só matéria do mundo. São Paulo: Cortez, 1991. 134 p.
8737 22/09/1999 ANDRADE, Mário de. Obra imatura. 3. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1980; Ed. Itatiaia. 300 p.
17670 21/10/1999 AZEVEDO, Álvares de. Noite na taverna. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997. 73 p, 21 cm. (Biblioteca Folha, 13). ISBN 8500914696.
15938 08/11/1999 MERCOPOEMA: Quatro pátrias em estado de poesia. Porto Alegre: Alcance, 1995. 483 p.
17684 23/11/1999 ANDRADE, Carlos Drummond de. A paixão medida. 5. ed Rio de Janeiro: Record, 1998. 170 p.
14255 13/03/2000 BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. 11. ed São Paulo: Ática, 1993. 182 p. (Bom livro).
13138 27/04/2000 CALDEIRA, Almiro. A esperança, talvez. Porto Alegre: Tchê Ed., 1982. v. 1 . 117 p.
16412 11/05/2000 TELLES, Carlos Queiroz. Sete faces do conto de fadas. 5. ed. São Paulo: Moderna, 1993. 128 p. (Veredas). ISBN 8516008002.
14925 10/08/2000 WILLER, Cláudio. Jardins da provocação. São Paulo: Ed. Massao Ohno, 1981. 95 p.
12990 21/11/2000 BRADLEY, Marion Zimmer. As brumas de Avalon. Tradução de Waltensir Dutra. 3. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1985. 280 p. (Ficção e experiência interior).
17684 22/11/2000 ANDRADE, Carlos Drummond de. A paixão medida. 5. ed Rio de Janeiro: Record, 1998. 170 p.
18669 09/03/2001 ASSIS, Machado de. Coleção Machado de Assis em sua essência. 2. ed São Paulo: Rideel, 1996. v. 1.
15495 18/05/2001 BANDEIRA, Manuel. Os melhores poemas de Manuel Bandeira: seleção de Francisco de Assis Barbosa. São Paulo: Global, 1984. 175p. (Melhores Poemas). ISBN 9788575551028.
14099 07/06/2001 VARGAS LLOSA, Mario. Quem matou Palomino Molero?. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1986. 195 p.

p_20181130_022631-e1545958945570.jpg

tudo o que não surge como consciência… retorna como destino

2018, novembro 15, quinta-feira

feriado. dia da república.

acordo com a sensação de perda – do amor que não terei coragem de viver, dos livros que nunca conseguirei terminar de ler… dos lugares que nunca irei… sinto como se fosse uma corrida contrarrelógio, e eu nunca fosse chegar, pois ainda não larguei… sempre perdido em mim, neste emaranhado cheio de nós atados e cegos que sou.

no final da tarde, olhando para os meus, pensei… a gente herda a dor e o sofrimento, mas no meio disto tudo, eu ainda tenho uma leveza em alguma parte de mim. ainda podemos ser flor nessa terra deserta.

no final da noite… algo arranha minha garganta. sensação angustiante.

***

«It Didn’t Start With You: How Inherited Family Trauma Shapes Who We Are and How to End the Cycle.»

***

«Quando nasci, um anjo torto carlos-drummond-de-andrade
desses que vivem na sombra 
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

(...) Porém meus olhos 
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode 
é sério, simples e forte. 
Quase não conversa. 
Tem poucos, raros amigos»

Trecho do Poema de sete faces. 
De Alguma poesia (1930)
Carlos Drummond de Andrade