Archive for the 'Curumin – Luciano Nakata Albuquerque' Category

qué tiempo he de decir que esto no es realidad?

2019, janeiro 18, sexta-feira

estou irritado. ultra sensível… descompensado. e o que é muito estranho… como de um instante para outro cai neste estado, onde a presença dos outros, a voz dos outros, a existência dos outros me perturba de um forma incontrolável… e não sei se é pela rede estar instável, ou por eu ter bebido uns goles de caipira – não o suficiente para ficar feliz -, ou por ter iniciado a redução da medicação – bora desmamar e viver de cara limpa -… mas, o gatilho foi acionado e estou assim, terrível. que bosta. respirar fundo e escrever aqui, talvez. um banho gelado depois… vai que as coisas esfriam, cá dentro.

enquanto chove lá fora.

e sobre hoje, dora me deu um nó, me cansou, mas ao cabo, engoliu o seu comprimido mastigável… ou ao menos a metade. e eu torcendo para não ter jogado cinquenta pila no lixo…

audiometria solicitada, agora é esperar o agendamento. estou a ficar levemente surdo de um ouvido.

e sobre ontem… eu amarelei… usei quase todas as minhas camisetas amarelas. ô dia infernal… calor absurdo.

ontem cumpri minha função. hoje dormi e só sai da cama porque havia um corres inadiáveis por fazer…

na trilha de fundo… curumin:

DIGIPACK_Boca_AF

*****

ps:

desculpa. fui bruto. desproporcional. eu sei que queria que vc fosse diferente do que é, e que em algumas vezes vc pudesse falar de uma forma doce ou amiga, mas as coisas são como são e é isso. cada um dá o que pode dar. não devo pedir nada além. devo apenas um pedido de desculpa pra ti e pra mim.

*

trilha de fundo:

maxresdefault

kamasi washington – ‘clair de lune’

*

e pesei-me hoje, 102. ano passado estava com 110-112.

outro 20 de novembro… outro 9 de maio.

2019, janeiro 9, quarta-feira

ouço matilde. como uma maça. estou, já, na casa nova. exausto pelo ter gasto o dia inteiro na mudança e na limpeza. depois de um ano me hospedando em casa de minha mãe, enquanto a obra na minha casa andava… e eis… que enfim, me despedi hoje, agradeci por tudo, mudei-me e estou em casa.

e vamos nos acostumando, a rotina, aos espaços, ao novo ambiente.

o zóiudo ‘tá em casa, dora também… apenas a sosso que está estranhando… já que literalmente ela dormiu o ano inteiro comigo… vai estranhar ainda mais… pois na casa nova… eu tenho porta no quarto e gato nenhum vai dormir comigo.

a casa ainda não está totalmente habitável… mas está limpa, com água, com eletricidade e internet… e até fevereiro estará tudo certo.

preciso dar um nome para essa casa…

e não foi a primeira vez que mudei-me de casa…

«49»

«despedida»

.

.

.

ps: e a faxina e mudança foram feitas ao som de muito

Liniker e os Caramelows

 e

Curumin

entre outros...

ps2. editado: 8h35. acordei assim…

20190109_083544-ANIMATION.gif

compacto

2015, junho 14, domingo

Estamos pronto para juntar e inventar uma pequena rotina em estilo livre tudo isso ao som da música, use somente sua imaginação e faça o que lhe faz sentir bem. Se você tiver algum problema, não fique desencorajado, simplesmente volte ao início do corte e comece novamente. Vamos então escutar “Compacto” junto com os melhores.” Curumin.

 

publicando postagens que andavam lá nos rascunhos esperando a hora de brotarem:

olóomi ayé s’óromon fée s’oròodò;

a montanha que devemos conquistar…;

oito de junho;

terras de xisto;

 

e eu fiquei gripado. meu corpo dói inteiro.