Archive for the 'Douglas Germano' Category

de bob dylan a bob marley

2016, julho 8, sexta-feira

as vezes dá uma vontade de ir embora… e ficar no mundo da fantasia. ontem, olhando para trás, quem puxou o papo fui eu.  porque não habito outros outros me habitam. as vezes do seu lado eu fico mudo. a presença de algumas pessoas me constrange de uma tal forma que eu desapareço. estranha sensação. talvez porque eu as desejo, e desejar é habitar o terreno da esperança e do medo. há muralhas no terreno do desejo e do medo. desejar, pensando agora, algo que não sei dizer claramente, há algo como percepção da perda da totalidade, e queda num território inóspito, onde o outro, da ordem do imponderável, tem e/ou terá algum atração gravitacional que tira-me de uma órbita ignorada. sou tímido, profundamente tímido.

***

Rainha das cabeças
(Douglas Germano / Kiko Dinucci)

Awoió ori dori re
Iyemanjá cuidou
Ade, ala, beijou
E encheu o ori de mar

Iya olori
Mojuba Olodumaré

Ela é filha de Olokun
É iya kekerê

Iya olori
Mojuba Olodumaré

Carregou uma cabeça
Sobre o adirê
Iya olori
Mojuba Olodumaré
Iya olori

***

e para ler mais: teoria das esferas de Peter Sloterdijk

e ouvir:

e para ver: metáforas visuais

dia um

2016, fevereiro 22, segunda-feira

23h31 na estrada…. exausto. o mais bonito desse meu oficio são as pessoas. mas aquela máxima, de que o inferno são os outros, vale também. reencontrar, abraçar, cumprimentar… conhecer gente nova…  ainda há estudantes e profs bacanas. gosto dessa energia da sala de aula.

nota de rodapé

[NOTA ADICIONAL – FEITA 11/4/2018 – MOTIVO: EXCLUSÃO DA PÁGINA BONIGARAPUVUPOESIAS – REGISTRO DOS COMENTÁRIOS/MENSAGENS AFETIVAMENTE RELEVANTES:  {douglas germano} Olá! Vi que você transcreveu em seu blog minha música “Sozinho”. Antes de qualquer coisa, lhe agradeço. Só gostaria de lhe pedir uma correção. O verso correto é: “Sozinho, minha trilha é Blanc” Se trata de uma reverência direta ao compositor Aldir Blan. Obrigado! Abraço!]

kawó kabiecilè xangô oba iná

2015, junho 7, domingo

«Kawó kabiecilè xangô oba iná / Abram caminho para o rei / Que se anuncia em um trovão / Que bravo, escreve o que errei / Cuspindo fogo pro chão / Labareda pra eu me consertar / Fogo pra me aquecer de perdão / Não há justiça sem ceder / Não há justiça sem amor / E se a gente nunca se entregar» Douglas Germano.

padê «« anterior
próximo »» poema garapuvu

Publicado
07/06/2015 23:30:45
editado:
23/12/2018 17:15