Archive for the 'Elza Soares – Elza da Conceição Soares' Category

me sinto um peixe fora do aquário…

[sáb] 26 de agosto de 2017

dados do dia:

a manhã foi de Dora. a tarde de Dorinha também… e dei uma mão para meu pai. essa noite será de faxina e/ou digitação das aulas. tantas faz.

21077645_10155626978662354_520958719567589371_n

amanhã farei casinha para dora. prepararei aulas para semana. e o que eu decidi não fazer nessa noite

e sobre o futuro… sei nada não. apenas incertezas. mas estou leve…

e para registrar as canções bonitas… que ouvia pela manhã… desses seres que cantam demais.

Sem Nome Mas Com Endereço, por Liniker.
Elza Soares - Mulher do Fim do Mundo.
Letra e música de Romulo Fróes e Alice Coutinho.
Francisco, el hombre - Triste, Louca ou Má
Johnny Hooker (part. Liniker) - Flutua
Johnny Hooker - Amor Marginal
Liniker - Fim de Festa (Itamar Assumpção)
Paulinho Moska & Jorge Drexler - Lágrimas de diamantes
Liniker - Calmô

10 contados (língua)

[sex] 8 de janeiro de 2010

10 Contados – Céu e Paulinho Moska

e tudo isso aqui abaixo nos rodeando [mistura de eu e tu]…

“Quero me

dedicar a criar

confusões de prosódia

/ E uma profusão

de paródias /

Que encurtem

dores / E furtem

cores como

camaleões”

Oração de Mãe Menininha – Gal, Bethânia, Caetano

O Quereres – Gal [a preferida]

Língua – Caetano e Elza [Extraído do DVD “O Cinema Falado”, de Caetano Veloso]

O Quereres – Chico e Caetano

Língua – Caetano e Elza

Azul – Gal

Olhos Verdes – Gal

Dom de Iludir – Gal

Até Quem Sabe? – Nara Leão

Meu Nome é Gal – Gal

Antonico – Gal

Assum Preto – Gal e Som Imaginário [Programa Ensaio 1970]

Baby – Gal [Programa Ensaio 1994]

Folhetim – Gal [Programa Ensaio 1994]

Olha – Gal e Roberto

Verbos de Amar – Gal

Sacode Carola – Samba Urbano e Walter Alfaiate

Meu Nome É Gal – Gal [Programa Ensaio 1994]

Sua Estupidez – Gal [Programa Ensaio 1994]

Naquele tempo – Baden Powell [Programa Ensaio]

Além do Amor / Deixa – Baden Powell [Programa Ensaio]

Consolação – Baden Powell [Programa Ensaio]

Voltei – Baden Powell [Programa Ensaio]

Revendo O Passado – Baden Powell [Programa Ensaio]

O Astronauta – Baden Powell [Programa Ensaio]

Tristeza – Baden Powell

Berimbau – Baden Powell

O Quereres

Onde queres revólver sou coqueiro e onde queres dinheiro sou paixão / Onde queres descanso sou desejo e onde sou só desejo queres não / E onde não queres nada nada falta e onde voas bem alta eu sou o chão / E onde pisas o chão minha alma salta e ganha liberdade na amplidão / Onde queres família sou maluco e onde queres romântico, burguês / Onde queres Leblon sou Pernambuco e onde queres eunuco, garanhão / Onde queres o sim e o não, talvez, e onde vês eu não vislumbro razão / Onde o queres o lobo eu sou o irmão e onde queres cowboy eu sou chinês / Ah! bruta flor do querer // Ah! bruta flor, bruta flor / Onde queres o ato eu sou o espírito e onde queres ternura eu sou tesão / Onde queres o livre, decassílabo e onde buscas o anjo sou mulher / Onde queres prazer sou o que dói e onde queres tortura, mansidão / Onde queres um lar, revolução e onde queres bandido sou herói // Eu queria querer-te amar o amor, construir-nos dulcíssima prisão / Encontrar a mais justa adequação, tudo métrica e rima e nunca dor / Mas a vida é real e de viés e vê só que cilada o amor me armou / Eu te quero (e não queres) como sou, não te quero (e não queres) como és / Ah! bruta flor do querer // Ah! bruta flor, bruta flor / Onde queres comício, flipper-vídeo e onde queres romance, rock’n roll / Onde queres a lua eu sou o sol e onde a pura natura, o inseticídio / Onde queres mistério eu sou a luz e onde queres um canto, o mundo inteiro / Onde queres quaresma, fevereiro e onde queres coqueiro sou obus / O quereres e o estares sempre a fim do que em mim é de mim tão desigual / Faz-me querer-te bem, querer-te mal, bem a ti mal ao quereres assim / Infinitivamente pessoal e eu querendo querer-te sem ter fim / E, querendo-te, aprender o total do querer que há e do que não há em mim

%d blogueiros gostam disto: