Archive for the 'Fichamentos' Category

esperando godot… keep talking.

[qua] 14 de março de 2018

PRIMEIRO ATO
Caminha em um descampado, com árvore. Entardecer. ESTRAGON, sentado no chão, trata de descalçar-se com ambas as mãos. Detem-se e, esgotado; descansa, ofegando; volta a começar. Do mesmo modo. Entra VLADIMIR. ESTRAGON. (Renunciando novamente.) – Não há nada a fazer. VLADIMIR. (Aproximando-se de passos curtos e rígidos, separadas as pernas.) – Começo a acreditá-lo. (Fica imóvel) Durante muito tempo resisti a acreditá -lo, dizendo-me — “VLADIMIR, seja razoável; ainda não tentou tudo.” E reemprendia a luta. (Reconcentra-se, pensando na luta. Ao ESTRAGON) Assim que utra vez aí? ESTRAGON. Te pareces? VLADIMIR. – Me alegra voltar a ver-te. Acreditava que te foras para sempre. ESTRAGON. E eu. VLADIMIR. – Como celebraremos este encontro? (Reflete) Vens que te beijo. (Estende a mão ao ESTRAGON) ESTRAGON. (Irritado) – Logo, logo. (SILÊNCIO) VLADIMIR. (Molesto, friamente) Pode saber-se onde passou a noite o senhor? ESTRAGON.Na sarjeta VLADIMIR. (Surpreso)Onde? ESTRAGON. (Imutável.) Por aí. VLADIMIR.E não te sacudiram? ESTRAGON. – Sim…, não muito. VLADIMIR. Os de sempre? ESTRAGON. – Os de sempre? Não sei. (SILÊNCIO) VLADIMIR. Quando penso…, sempre… pergunto-me o que teria sido de ti… sem mim… (Com decisão.) Sem dúvida, não seria agora mais que um montão de ossos.

***

li apenas isto, ainda não sei do que se trata… irei para a primeira aula da semana (do joca)… faltei 4 em estudos (a tal da gramática criativa…), e 2 de teoria (os clássicos…), e 3 de literatura portuguesa (as trovas…). irei apenas na de teoria, hoje, agora.

[9H43 EDITANDO ISSO AQUI… E NÃO É QUE INVERTI OS HORÁRIOS E AINDA PERDI O TREM… ASSIM, LEMBRETE EM CAIXA ALTA: O TEMPO É TEU, A VIDA É TUA. SIGA NO TEU RITMO… MAS ENCONTRE O EQUILÍBRIO, AI DENTRO… PARA NÃO ADOECER, COMO SEMANA PASSADA, E NEM PERDER DINHEIRO, COMO NESSE ANO, E AINDA TER PRAZER; MAS QUE TODO EXERCÍCIO DÓI, E QUE É PRECISO ABRIR O PEITO, FICAR NU… E IR. FICAR EM CASA, NESTE PC, NÃO DÁ]

E COMEÇA A CHOVER AGORA, MAS ANTES AVISTEI OS SAGUIS, O CASAL DE PICA PAU, E UM BANDO DE GRALHAS… TUDO PELA JANELA.

***

ps: r.i.p. Stephen Hawking.

***

quarta-feira, 14 de março.

Dia do Pi

***

Keep Talking // For millions of years mankind lived just like the animals / Then something happenend which unleashed the power of our imagination / We learned to talk / There’s a silence surrounding me / I can’t seem to think straight / I’ll sit in the corner / No one can bother me / I think I should speak now  / Why won’t you talk to me / I can’t seem to speak now  / You never talk to me / My words won’t come out right  / What are you thinking / I feel like I’m drowning  / What are you feeling / I’m feeling weak now  / You never talk to me / But I can’t show my weakness / What are you thinking / I sometimes wonder  / What are you feeling / Where do we go from here / It doesn’t have to be like this / All we need to do is make sure we keep talking / Why won’t you talk to me  / I feel like I’m drowning / You never talk to me  / You know I can’t breathe now / What are you thinking  / We’re going nowhere / What are you feeling  / We’re going nowhere / Why won’t you talk to me / You never talk to me / What are you thinking / Where do we go from here / It doesn’t have to be like this / All we need to do is make sure we keep talking // Compositores: Dave Gilmour / Polly Samson / Rick Wright // Artista: Pink Floyd // Álbum: The Division Bell // Data de lançamento: 1994 // Gênero: Rock progressivo

das coisas importantes anotadas por aí…

[sex] 2 de março de 2012

DA SÉRIE… REVISÃO DOS CADERNOS DE SOCIOLOGIA.

Geneologia da CRÍTICA -> hipótese -> Construção da CRÍTICA em MARX -> em Kant antes de Hegel.

«Será que o conceito de CRÍTICA em Marx é uma desmaterialidade da ciência?»

KANT 22/04/1724 – 12/02/1804
KONIGSBER – PRÚSSIA

Crítica da Razão Pura (1781)
Crítica da Razão Prática (1788)

Das formas de conhecimento -> A Posteriori (Empírico) – A Priori (Puro)
Distinções

{ Juízo Analítico

{ Juízo Sintético a posteriori

{ Juízo  Síntético a priori

Síntese => Princípios a priori > duas fontes > Sensibilidade e Entendimento

Dialética transcendental – o COMO e não o OBJETO

***

Século XVIII -> matemática -> Razão -> Esclarecedor (Paradigma Iluminista)

Século XX -> matemática -> Razão -> Instrumentalizador

———————————————————

Entendi também o amarelinho como a flor. A flor é a estrutura reprodutora característica das plantas denominadas espermatófitas ou fanerogâmicas. A função de uma flor é a de produzir sementes através da reprodução sexuada. Para as plantas, as sementes representam a próxima geração e servem como o principal meio através do qual as espécies se perpetuam e se propagam. fonte: wikipédia

e câmera dispara…

[seg] 21 de março de 2011

“deixa eu engolir minha pretensão…”

6:30 café feito [e louça lavada].

7:32 ônibus perdido [e uma espera pelo sol na garoa].

7:52 uma carona, quando eu nem esperava [de nóe e isabel].

8:35 atrasado para a aula [que nem começou ainda].

antropologia visual – imagem e conhecimento.

unidade 1. bloco 1. primeiros contatos.

a etnografia ‘como descrição do universo do outro’.

imagem e conhecimento como uma relação antiga. e com a modernidade e o desenvolvimento tecnológico esta relação ganha especificidades na contemporaneidade.  [ver também ‘a obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica’]

imagens pré-antropológicas

a câmera escura [antiguidade grega] – a fotografia [sec. xiv, renascentismo] – o cinema [idade moderna]

as ‘dudas’ barrocas (1600-1750)

“a lição de anatomia” de rembrandt

“as meninas” de velasquez

‘no ínicio [e até os anos 1950] a antropologia é muito antropomófica’ onde a ‘forma revelaria o caráter’ e principalmente o anormal.

e a imagem [fotografia com sua capacidade de copiar o real] é uma mecanismo de classificação dos tipos [grosso modo] [e dentro de um prisma evolucionista e de expansão colonial] cabendo numa antropometria [classificação dos tipos, antropologia fisica] ou nos retratos étnicos. [remeter as expedições pluridisciplinares francesas e outras. ex: Missão Dakar-Djibouti etc.{complementar}]

antropologia fisica [criminal] -> instituições da ordem [norma social] [séc. xx]

qual é a relação inicial entre conhecimento e imagem?

quais significados constrói esta relação?

que está em tensão entre ambas?

[rever marcel mauss { técnicas corporais}]

[instituição total -> onde o tempo e espaço são regulados. o exterior é neutralizado/negado. ex: prisão etc.]

Irmãos Lumière: primeiros filmes (1895)

L’Arrivée d’un Train à La Ciotat

[irmãos lumière não inventam a reprodução {} da imagem, apenas adaptam-na e inventam o cinema quando diferente de edson {reprodução individual} reproduzem coletivizadamente.

12:06 “Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Carlos Drummond de Andrade

%d blogueiros gostam disto: