Archive for the 'Filme' Category

acorda , humanidade! abaixo a gravidade… superoutro

[dom] 25 de novembro de 2018

Superoutro – Edgar Navarro (1989)

Direção/ Roteiro/ Produção/ Edição: Edgard Navarro
Fotografia: Lázaro Faria
Trilha original: Celso Aguiar
Duração: 48 min
Ano: 1989
Formato: 35mm
País: Brasil
Cor: Colorido

Nada é sagrado!
Superoutro, o libelo seminal de Edgard Navarro
por Juliano Gomes

Conexão Cinema – Superoutro, com Edgard Navarro

***

algo errado. estou nervoso. quase tive uma crise de choro…  respirar fundo.

constato. enfezado. eu não me aguento. não ficar bruto. às vezes o buraco interior é tão vasto que eu não consigo não desabar precipício abaixo.

eu e minhas doses diárias de micro suicídios.

o deserto dos meus olhos

[dom] 11 de novembro de 2018

eu paralisei. meu peito anda pesado. insisto em ser triste e vago.

ainda estou doente.

e amanhã tem prova e eu não consigo estudar. nem consigo sentar e corrigir/planejar as atividades docentes. essa ansiedade toda tem me paralisado…

***

abaixo uma colagem de referências sobre imagem e palavras

na semana que passou usei fragmentos deste programa [imagem da palavra] em sala de aula:

ontem vi words and pictures

e as primeiras palavras que li hoje, foram:

«Por que cegamos, não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, diz, Penso que não cegamos, penso que estamos cegos, cegos que vêem, cegos que vendo, não vêem».
«O medo cega (…) são palavras certas, já éramos cegos no momento em que cegamos, o medo nos cegou, o medo nos fará continuar cegos (…) Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara». José Saramago.

***

o que me fez lembrar de uma passagem do filme kasper hauser

«Vejo uma caravana que vem pelo deserto atravessando a areia, guiada por um velho berbere. E este velho é cego. A caravana parou, alguns acreditam que eles se perderam, pois se depararam com as montanhas. Eles não conseguem seguir a bússola. Então o guia cego pega um punhado de areia e a come, como se fosse uma comida. ‘Meus filhos’, diz o cego, vocês estão errados, isto diante de nós não são montanhas, e sim , apenas sua imaginação. Prosseguiremos para o norte’. E então, sem discutirem, eles prosseguiram adiante e chegaram na cidade. E lá a história continua. Mas a história nesta cidade, eu não sei. Eu agradeço por terem ouvida minha história. Estou cansado agora» (Werner Herzog)

e na busca pelo filme, acabei no excelente vídeo abaixo [«o espaço nos fala», do canal prelúdios de Leon Idris Azevedo] e anotei aqui, porque, coincidência, mês passado, em sala, quando da aula sobre foucault, conversamos sobre esse debate… Noam Chomsky & Michel Foucault – Full debate on Human Nature

[ps: o título desta postagem é de um livro que acabo de descobrir e será minha próxima aquisição/leitura… livro de Leon Idris Azevedo]

vídeo, finalizado com esse belo poema «Quintanices» de Regina Dayeh

«Segui teu conselho
abri uma janela

palavras

dançam nas ruas estreitas
pelas avenidas
grafitam nos muros
ocupam espaços
correm na areia

entre rios e pontes
entre vagas ideias
as letras as frases
escapam pulando
em cores

na boca
no sangue
na mão

chega o poema
e junto o poeta
e vem o convite,
à festa folia
brincar de poesia
os sons
toda a luz.
arejam a casa
alegram a casa
habitam em mim.»

Publicado pela Miró Editorial, em 2013.

lección de gramática e malinculia

[qua] 7 de novembro de 2018

9h58 talvez eu tenha tido uma ideia.

11h49 “parte de mim desesperadamente quer ficar em casa…”

13h00 ça va… ou saravá... vamos lá.

vou de Casa Grande [2014 ‧ Drama/Romance ‧ 1h57m Direção: Fellipe Gamarano Barbosa Sinopse: Um retrato atual da mudança social brasileira a partir de uma família burguesa falida, onde o preconceito social prevalece]

e Casa-Grande e Senzala – edição para aula

20h01 múltiplas janelas abertas… em multiplataformas… áudios, aulas, entrevistas, textos, gramáticas, bloco de notas…

«Yo estoy, tú estás
y ella está y él también;
y todos los que estaban, estuvieron
y están muy bien.
Estamos, estaremos
nosotros; ella y él
estarán lado a lado y yo, que estuve,
estaré.
Y si acaso estuviera
alguien que no haya estado alguna vez,
¡bienvenido!, que estar es lo importante
–y que todos estén»

Lección de gramática, de David Chericián.

22h08 adormeci chapado pelo antialérgico, acordei angustiado lesado, jantei macarrão com salada panc, as lindas capuchinhas, e tomei uma caneca de café quente para acordar. eu posso… eu vou terminar essa bagaça. hoje? sei não…

23h05 é, acho que não vai rolar hoje… e vou ficar devendo para a minha dupla a minha parte das tarefas…

mas do estudo vai um trecho do poema de Antonino Sales, «Malinculia»

«Malinculia, Patrão, É um suspiro maguado Qui nace no coração! É o grito safucado Duma sodade iscundida Qui nos fala do passado Sem se torná cunhicida! É aquilo qui se sente Sem se pudê ispricá! Qui fala dentro da gente Mas qui não diz onde istá! (…)

BAGNO, Marcos. “A Língua de Eulália: Uma Novela Sociolinguística»

para lá de bagdad

[sex] 5 de outubro de 2018

acordei, na sexta-feira, antes do horário combinado com o meu despertador…

e num insight… troquei o plano do dia. e lembrei do filme pro dia nascer feliz, de joão jardim…

AUSÊNCIA – Vinicius de Moraes

Rio de Janeiro , 1935

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

hoje foi dia de reencontrar clécia, valéria e deivison no filme pro dia nascer feliz.

***

falar sobre …

pensar nessa onda fascistoide… e nesse momento da política brasileira tem me deixado meio na fossa. e oscilo entre a luta por resistir cá e agir por um mundo melhor, mais humano… ou sumir do mapa, desistir dessa imbecilidade coletiva… desse fascismo cotidiano. sinto-me um outsider nessa loucura toda…

manhattan

[dom] 4 de setembro de 2016

00h39

«O estudo da ideologia é, entre outras coisas, um exame das formas pelas quais as pessoas podem chegar a investir em sua própria infelicidade. A condição de ser oprimido tem algumas pequenas compensações, e é por isso que às vezes estamos dispostos a tolerá-la. O opressor mais eficiente é aquele que persuade seus subalternos a amar, desejar e identificar-se com seu poder; e qualquer prática de emancipação política envolve portanto a mais difícil de todas as formas de liberação, o libertar-nos de nós mesmos.» Terry Eagleton, Ideologia: uma introdução.

 

Ellis

 

***

e a maratona da madrugada.

(Annie Hall, 1977) woody allen

(Manhattan, 1980) woody allen

(Hollywood Ending, 2002) woody allen

os dois primeiros excelentes.

onda vaga…

[seg] 1 de junho de 2015

04:28 primeira intervenção do dia: Onda Vaga – Rendición


Tanto querer agradarte / Tanto que me distraía / De lo lindo que traías / Tanto querer que / Me quieras escuchar / Tanto amarte / Tanto querer encontrarte / Tanto querer yo quería / Que ya casi ni veía / Y se me pasaba de largo / El milagro de los dos / Tanto buscarte / Tanto querer abrazarte / Tanto que ya / No sentía la canción / Tanto que ya / No escuchaba el corazón / Fue tanto querer quererte / Que no podía verte / Y yo no quiero más / Estoy bien así / Sólo espero poder seguir / Cantando con vos

[editar aqui ao longo do dia para acrescentar coisas…]

23:22 o dia não foi nada do esperado. me atravessei… dormi muito, joguei war com as marias… vi tevê. e só.

latitutes:

estou irritadiço hoje.

duas conclusões: sou muito enrolado. e um tanto conciliador…

nota de rodapé

[NOTA ADICIONAL – FEITA 11/4/2018 – MOTIVO: EXCLUSÃO DA PÁGINA BONIGARAPUVUPOESIAS – REGISTRO DOS COMENTÁRIOS/MENSAGENS AFETIVAMENTE RELEVANTES:  {c.m. luz} Bom te ver :)]

[nota adiconal – feita 30/11/2018 – corrigindo link quebrado… e «Latitudes é o primeiro filme brasileiro concebido para TV, internet e cinema. Essa versatilidade audiovisual tem nome: são os chamados projetos “transmídia”, produtos feitos para ocupar diferentes plataformas de reprodução. Especialistas afirmam que usar meios diversos para explorar a produção de conteúdo é uma tendência inevitável no mercado cultural atual. Para quem estiver interessado em se aprofundar no tema, sugiro a leitura do livro Cultura da Convergência, de Henry Jenkins» via cineclick.com.br

quando sinto que já sei

[seg] 11 de agosto de 2014

 

http://www.quandosintoquejasei.com.br/

Quando sinto que já sei 78 minutos, 2014, Brasil. http://www.quandosintoquejasei.com.br http://www.facebook.com/QuandoSintoQueJaSei

olha a minha cara de clint eastwood

[seg] 26 de agosto de 2013

Você não está indo para lugar nenhum. Você está perdido! Você está indo embora! …Você não está vendo que está entre a vida e a morte?! Acorda para dentro!”.

.>’

Chuva Interior

Quando saia de casa
percebeu que a chuva
soletrava
uma palavra sem nexo
na pedra da calçada.

Não percebeu
que percebia
que a chuva que chovia
não chovia
na rua por onde
andava.

Era a chuva
que trazia
de dentro de sua casa;
era a chuva
que molhava
o seu silêncio
molhado
na pedra que carregava.

Um silêncio
feito mina,
explosivo sem palavra,
quase um fio de conversa
no seu nexo de rotina
em cada esquina
que dobrava.

Fora de casa,
seco na calçada,
percebeu que percebia
no auge de sua raiva
que a chuva não mais chovia
nas águas que imaginava.

Mário Chamie

direto do filme via lactea

***

se eu entendesse tudo que sinto, viver seria tão previsível” (MORDIDA). a frase não é minha, mas traduz-me tanto nestes tempos. e a sacada acima, do título, também não é minha… é do mesmo filme Surf Surf (Wellington Sari, 2012).

***

hoje dediquei um tempo à leitura das coisas de Volodia. [ps: uma tarefa após finalizar essa biografia: reler toda obra poética, ao menos].

um trecho de “A nuvem de calças”:

Silêncio.
O universo dorme colocando sobre a pata,
com garra de estrelas,
a enorme orelha.

***

chego em casa e minha porta está escancarada, totalmente aberta. ninguém lá. não há mais a separação entre interior e exterior, é tudo um grande espaço vazio. nesse tempo que passou eu perdi algo… e acordo-me de uma canção de dias atrás… “acontece que já não sei mais amar (…) acontece que meu coração ficou frio”¹. e eu nem sei por quê me sinto assim…

¹Cartola Interpreta: “Acontece

***

e obrigado por pensar em mim. «a via lactea, por legião urbana»

invictus

[ter] 16 de julho de 2013

Invictus 

Out of the night that covers me,
Black as the pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds and shall find me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishment the scroll,
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.

Invictus 

Dentro da noite que me rodeia
Negra como um poço de lado a lado
Agradeço aos deuses que existem
por minha alma indomável

Sob as garras cruéis das circunstâncias
eu não tremo e nem me desespero
Sob os duros golpes do acaso
Minha cabeça sangra, mas continua erguida

Mais além deste lugar de lágrimas e ira,
Jazem os horrores da sombra.
Mas a ameaça dos anos,
Me encontra e me encontrará, sem medo.

Não importa quão estreito o portão
Quão repleta de castigo a sentença,
Eu sou o senhor de meu destino
Eu sou o capitão de minha alma.

não encontrei o autor da tradução, ainda.

***

http://www.youtube.com/watch?v=uGbWDDTsvT8

Fragmento del película Invictus, dirigida por Clint Eastwood y protagonizada por Morgan Freeman y Matt Damon, en el que mientras Francois Pienaar visita la celda en la que estuvo Nelson Mandela durante 27 años (9000 días), se oye el poema Invictus de William Henley recitado por Nelson Mandela.

bis später, max!

[sáb] 9 de fevereiro de 2013

BIS SPÄTER, MAX!, filme de Jan Schütte

Programação do dia: Cinema e talvez, só talvez, o carnaval, porque é caminho.

Tem sido um hábito ir ao cinema sozinho. Tem sido um hábito estar sozinho. É um momento interessante. É um recuo para um zona emocional mais tranquila, ao menos na superfície. É recuo, porque lidar com as emoções é sempre algo muito difícil. Uma bolha, uma capsula, neste momento ajuda a cumprir certas metas … Mas é tolice pensar que é algo momentâneo apenas já que convivo comigo há trinta anos e sei bem todos os transtornos e neuroses que carrego. Talvez eu morra só. Talvez uma capsula, talvez um mergulho do vigésimo quinto andar… Talvez eu viva até os 82 e tenha ainda amores. Talvez amanhã eu resolva sair do luto do último amor partido ou que parti e abra as portas deste coração para o povo fazer ninho e voltarmos a sorrir. Mas hoje não, mesmo que lágrimas no espelho venham me avisar que ainda vivo… Hoje não, mesmo que haja uma vontade danada de ir sem saber quando e como e onde chegar… Hoje não. Vou ficar aqui, só, deste lado da rua, sem ir ai te abraçar, esperei o próximo carnaval dobrar a esquina… e se eu ainda estiver por cá, ai sim… o bloco sambará.

Cinco días sin nora

Trailer de “Cinco días sin Nora”. Dirigida por Mariana Chenillo y estelarizada por Fernando Luján, Ari Brickman, Cecilia Suárez, Enrique Arreola, Angelina Peláez, Verónica Langer, Max Kerlow, Juan Carlos Colombo, Juan Pablo Medina y Marina de Tavira

Viudas

Viudas” Trailer. Dirigida por Marcos Carnevale y estelarizada por Graciela Borges e Valeria Bertuccelli, con la participación especial de Rita Cortese Y el debut cinematográfico de Martín Bossi

«Tú no podrás faltarme cuando falte todo a mi alrededor / Tú, aire que respiro en aquel paisaje donde vivo yo / Tú, tú me das la fuerza que se necesita para no marcharse / Tú me das amor, amor (…)» Paisaje, por Vicentico. Compositores: Francesco Franco Simone e Giorgio Di Lorenzo

 

E NO FUNDO MUSICAL UM ANTI-TEMA PARA ESTES DIAS

«Clipe Felicidade – Marcelo Jeneci»

Direção:Lucas Cirillo … 

%d blogueiros gostam disto: