Archive for the 'Haikai' Category

aisumasen (i’m sorry)

2019, janeiro 4, sexta-feira

revi westworld… a segunda temporada, e lembrei de como eu era fascinado, quando garoto, pelo japão medieval… acho que comigo começa com os tokusatsu [Lion Maru, Jiraya, ou antes, pelas culturas… na coleção povos do passado], mas depois vai pelas horas intermináveis pesquisando nas bibliotecas sobre cultura japonesa… e do meu fascínio quando achei aquele livro do leminski… bashô.

basho 2-thumb-800x1094-160414

e porque remexia os livros cá, pois logo hei de mudar para a minha casa nova… encontrei a belíssima edição do livro do andré stolarski

lapidar o dia
até derreter o sol
na lâmina do mar

Jpeg

e nisso lembrei que outro dia descobri que o termo em japonês para os três brancos é sanpakuo. e por que me chamou atenção? porque quando ouvi o termo, lembrei no mesmo instante que alguém tempos atrás [noé], lá pelas bandas de 2003, reparou que meu olhos tinham os três brancos… lembro dele comentando comigo e com isabel, sua mãe. eu não entendi, sei que tinha alguma relação com macrobiótica… mas eu não me recordava o porquê… não sabia porque essa característica do meu olhar tinha lhe chamado tanto atenção. e de fato, nem recordava desta história até ouvir o termo, por esses dias, e hoje fui pesquisar… nada demais, mas…

achei essa belezura…

When I’m down, really yin
And I don’t know what I’m doing
Aisumasen, aisumasen Yoko
All I had to do was call your name
All I had to do was call your name
And when I hurt you and cause you pain
Darlin I promise I won’t do it again
Aisumasen, aisumasen Yoko
It’s hard enough I know just to feel your own pain
It’s hard enough I know to feel, feel your own pain
All that I know is just what you tell me
All that I know is just what you show me
When I’m down, real sanpaku
And I don’t know what to do
Aisumasen, aisumasen Yoko san
All I had to do was call your name
Yes, all I had to do was call your name
Compositores: John Lennon

a lembrança da esperança que vemos evaporar

2018, março 22, quinta-feira

sabe quando você lê o texto… e ouve a voz da pessoa na sua mente, como se ela estivesse falando aquelas palavras. com alguns textos sinto isto.

cortei a barba.

e antes que a cabeça vá longe demais, e minha solidão veja coisas…

faça o básico, cuida da saúde.

***

onde, no final da tarde, indo pra escola, e um cara, no meio da rua, com sua máquina na mão, até o último segundo, antes do ônibus passar, manteve-se focado, e deu um shot… clicou o sol, poente. e eu não me contive… papel e caneta e o desejo de escrever uns versos sobre aquele sol… e fotografar do meu jeito.

splash e espelho / o sol desabou por inteiro / no mar vermelho.

ou

maré cheia vaga / a gota dourada / explodiu no horizonte.

ou

sol (des)encarnado / no ápice da onda / borrões de fogo.

Praia de Sambaqui, Florianópolis.

***

e agora um pouco de dado, que confesso, não conhecia. (do cd O PASSO DO COLAPSO)

COLAPSO

(Dado Villa-Lobos | China | Jr. Black) Vou derreter o chão Descer o morro Minhas lágrimas são como fogo Do chão ao céu Do sangue ao pó Sob a calma de um silêncio Ensurdecer Eu sou a força e o que move o desejo dos deuses Eu sou O espelho da assombração. Vou sedar o riso de tanta gente Paralisar a vontade do ser Lhe acordar no feitiço de um sonho Dizendo uma verdade absoluta Que eu sou a força e o que move o desejo dos deuses Eu sou O espelho da assombração. Que eu sou o mar que engoliu a cidade E o reino de deus O parágrafo da conclusão. Vou me deitar no chão da sua calçada, eu vou Descer com a última estrela do céu. Nada ficará pra sempre como antes, eu sei.

BELEZA AMERICANA

(Laufer | Fausto Fawcett) Virgens suicidas em cidade centro-oeste Estranha Nova York, urbano Armagedon Apache, faroeste, comanche Casais fugitivos em estradas desertas, Moicanos e beatniks Casais fugitivos Bonnie and Clyde Virgens suicidas em cidade centro-oeste Italiana Nova York, gangster irlandesa black Jovens milionários da web, lua subúrbio da Nasa Uma garota filha de chinês com americana Vai me guiando Uma garota sino-americana num vestidinho oriental típico Vai me guiando e marrenta me dizendo: – foi mal, mas eu sou duplamente imperial Vai me guiando por enigmáticas Paris-Texas Por estravagantes Paris Hilton Vai me guiando por pesadelos, paraísos Abismos da vertigem americana Primitiva e industrial, cinema do poder mundial Beleza americana beleza Mande um beijo pra Las Vegas, Hollywood como vai Montanhas rochosas, encruzilhadas de New Orleans Grand Canyon CSI, FBI

[ps> engraçado que ao ouvir… veio-me a memória esse vídeo aqui> Análise do texto “A Promessa” do livro de C. Wright Mills, A Imaginação Sociológica.

e do JARDIM DE CACTUS

LUZ E MISTÉRIO

(Beto Guedes | Caetano Veloso) Oh! Meu grande bem / Pudesse eu ver a estrada /  Pudesse eu ter / A rota certa que levasse até / Dentro de ti // Oh! meu grande bem / Só vejo pistas falsas / É sempre assim / Cada picada aberta me tem mais / Fechado em mim // És um luar / Ao mesmo tempo luz e mistério / Como encontrar / A chave desse teu riso sério // Doçura de luz / Amargo e sombra escura / Procuro em vão / Banhar-me em ti / E poder decifrar teu coração // És um luar / Ao mesmo tempo luz e mistério / Como encontrar / A chave desse teu riso sério // Oh grande mistério, meu bem, doce luz / Abrir as portas desse império teu / E ser feliz

DIAMANTE

Hoje em dia sei que um simples dia É tão belo quanto um diamante Som nas ruas, ouvidos despertos Vento e música e árvores dançantes Faz um tempo, eu aguardava tudo Para um dia especial distante Fui ficando mais calado e mudo Até sacar que o futuro é uma meta flutuante Dê sua mão, venha até mim Com o seu corpo e seu coração Que é brilhante, claro e belo Hoje vejo claro, é claro que te quero Hoje lembro e sinto saudades de nada Vi o que vi, fiz o que fiz, Paguei o preço por ter tido a lição O tempo é um professor sem pressa, mas é exigente E chega a hora de tornar o agir Ficar mais claro, forte e inteligente.

 

 

um haikai sobre a grade e outros poemas…

2015, novembro 8, domingo

o anti abrigo da grade
abriga o pássaro
sem árvore.

santo antônio de lisboa 7.11.2015

***

ps: quando encontrar a folha que pus os outros poemas, transcrevo para cá.