Archive for the 'Humberto Gessinger' Category

trekking trip tipo trupe

2019, fevereiro 11, segunda-feira

e dormi boa parte do dia, deste domingo. e das coisas que haviam… por serem feitas, fiz quase nada não. não lavei roupa, não limpei a casa… não terminei o planejamento… não vi o novo episódio de star trek… e nem fiz sala pra minha tia, não fiz a impressão do boleto pro meu pai… tão pouco pintei a cozinha, o quarto e o resto da sala. no máximo que fiz foi regar as plantas, o ajuste de matrícula e um quadro de horários não terminado.

e a título da postagem é o combinado pra próxima trilha… nada de dupla… um coletivo.

e na minha timeline aparece isto: «O Fascismo é fascinante, deixa a gente ignorante e fascinada…»

e o meu navegador, ao tentar traduzir seu texto, recria. algo como: à volta volta volta volta volta volta cans cans meus meus meus meus olhos olhos olhos olhos como a programação das palavras

Though I’m past
one hundred thousand miles
I’m feeling very still
And I think my spaceship knows which way to go
Tell my wife I love her very much
she knows

David Bowie – Space Oddity

e o meme do dia

12417650_1063437460390684_8803833797756982331_n

e a música do dia

«cães danados do fascismo babam e arreganham os dentes sai do ovo a serpente fruto podre do cinismo para oprimir as gentes nos manter no escravismo pra nos empurrar no abismo e nos triturar com os dentes ê república de parentes pode crer na nova babilônia eu e você somos só carne humana pra moer e o amor não é pra nós mas nós temos a pedrada pra jogar a bola incendiária está no ar (vai voar) fogo nos fascistas fogo, jah!» 

República dos parentes (fogo nos fascistas!) Chico César

editando:

ps1: já são cinco da madruga e só agora o sono chegou; deu pra ver o último episódio de star trek discovery (t2 ep4 – An Obol for Charon) e star wars (ep 7 – o despertadar da força)

ps2: os dias em que a casa fica aberta, dora dorme aos meus pés. sinto-me seguro… com ela, com o zóiudo, com a sorvete… engraçado com um cão e dois gatos me deixam mais calmo, feliz e seguro. é bom ter uma família animal.

 

 

tem coisa que só sai da gente por escrito

2018, maio 24, quinta-feira

coisa_que-1

alguém fotografou isto [um lambe-lambe].

mas hoje nada.

nenhuma palavra.

reescrever.

em contagem regressiva.

nada para dizer.

falo demais.

cansaço.

ando sem horários.

***

«eu que não amo você, envelheci dez anos ou mais nesse último mês. eu que não bebo, pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta ao sair. o certo é que eu dancei sem querer dançar e agora já nem sei qual é o meu lugar… dia e noite sem parar, procurei sem encontrar a palavra certa, a hora certa de voltar, a porta aberta, a hora certa de chegar…» eu que não amo você. composição: humberto gessinger

a primeira veio do nada, como uma frase que a gente lembra de parte, sem saber exatamente de onde ou quando… veio quando eu rolava na cama, antes de dormir.

a segunda veio como um link… e tem um belo poema, e é lenine.

«Saudade é um lindo bicho
Que no escuro se orienta
Que da fome se alimenta
Que tem a dor por capricho
E só quando dói alenta

Saudade é um bicho estranho
De natureza selvagem
Porém de fina engrenagem

Crescendo a perder tamanho
Vê-se minguar de coragem

Enquanto verso a saudade
O bicho, feito quimera
Partido pela metade
Meu coração acelera
O mudo rugir da fera
É quem impõe sem piedade
O meu compasso de espera

Saudade é um bicho grande
Muito maior do que eu penso
Quão mais se expande, mais denso
Quão mais denso, mais se expande
Saudade é um bicho imenso» bicho saudade, composição de João Cavalcanti e Lenine

outra forma de ver é devorar

2018, maio 4, sexta-feira
00:01
John Cage: 4'33" for piano (1952)
John Cage: Ocean of Sounds
John Cage: In a landscape (1948)
John Cage: Amores (1943)
John Cage: A Book of Music (1944)
John Cage: Five
John Cage: Daughters of the Lonesome Isle (1945)
John Cage: Mysterious Adventure
John Cage: Forever and Sunsmell (1942)
John Cage: A Flower (1950)
John Cage: Forever and Sunsmell (1942)
John Cage: Variations II (1961)
John Cage: Cheap Imitation (1969)
John Cage: Bacchanale (1938/1940)
John Cage: Second Construction (1940)
John Cage: The Seasons, Ballet in one Act (piano version) (1947)
John Cage: First Construction (1939)
John Cage: Summer
John Cage - Primitive
John Cage - Litany for the Whale (1980)
John Cage: Living room music (1940)
Chet Baker - Almost blue

https_images.genius.comc52336d27554bde89a64d5edb8c438c3.1000x1000x1

«Almost blue / Almost doing things we used to do / There’s a girl here and she’s almost you / Almost / All the things that you promised with your eyes / I see in hers too / Now your eyes are red from crying / Flirting with this disaster became me / It named me as the fool who only aimed to be / Almost blue / It’s almost touching it will almost do / There’s a part of me that’s always true…always / Not all good things come to an end now it is only a chosen few / I’ve seen such an unhappy couple»  Compositor: Elvis Costello

1h17. tive uma sacada…
vou tocar o terror, virar a madrugada, corrigir tudo que falta, digitar tudo que falta. tirar da cartola uma aula e ir. porque se eu for dormir… não vou mais uma vez, e o estrago será absurdo.

Mordida – Previsível + Açucar

e foi essa canção, lá atrás [olha a minha cara de clint eastwood], no filme do Wellington Sari, que me levou até essa ótima banda.

abaixo, trabalho solo de Paulo de Nadal, vocalista da banda. Paulo De Nadal – A carta de Caminha, Paulo De Nadal – Mais Flores Que Espinhos, entre outras…

Outra forma de ver, é devorar
outra forma de cor, é decorar
outra forma de sim, dissimular
outra de vento, aventurar
outra forma de rua, arruinar
outra forma de água, é aguardar
outra forma de dor, adormecer
outra forma de reta, derreter,
e outra ainda é arretar
outra forma de ser é esquecer
e quantas formas devem ter
de se gostar, de se querer,
de se gostar de si
outra forma de circo é circular
outra forma de som é assombrar
outra forma de luz, alucinar
outra forma de disco, discordar
outra forma de uva, enviuvar
outra forma de voo, trovoar
outra forma de crer é escrever
outra forma de sol, absolver,
e se preferir soluçar
outra forma de furo, enfurecer
e quantas formas devem ter
de se gostar, de se querer,
de se gostar de si

***

23h00 nota adicional. consegui, sobrevivi. mas foi apavorante entrar em sala… um aperto no peito, uma apatia, e carreguei uma tonelada de peso, sobre as costas e sobre o peito.

e na correção das avaliações…

duas músicas vieram quando lia as seguintes palavras «será» e «ninguém é igual a ninguém»