Archive for the 'Jorge Drexler – Jorge Abner Drexler Prada' Category

ainda esperando godot

[qua] 21 de março de 2018

os milésimos… os segundos… os minutos… as horas vão se avolumando. e sono é tanto.

5h47


«sempre achando alguma coisa para vivermos». p. 104.

referências na aula de teoria literária>>
uma vela para dario – dalton trevisan
o erotismo – george bataille
vida – paulo leminski
casa grande e senzala – gilberto freyre
zero – ignácio de loyola brandão

8h50

seminário definido:

Feynman, a linguística e a curiosidade. Renato Miguel Basso e Roberta Pires de Oliveira. Matraga, rio de janeiro, v.19 n.30, jan./jun. 2012

11h45


essa é a canção que será cantada por nós professores… no dia da família

George Harrison – Here comes the sun

Here comes the sun (doo doo doo doo) / Here comes the sun, and I say / It’s all right / Little darling, it’s been a long cold lonely winter / Little darling, it feels like years since it’s been here / Here comes the sun / Here comes the sun, and I say / It’s all right / Little darling, the smiles returning to the faces / Little darling, it seems like years since it’s been here / Here comes the sun / Here comes the sun, and I say / It’s all right / Sun, sun, sun, here it comes / Sun, sun, sun, here it comes / Sun, sun, sun, here it comes / Sun, sun, sun, here it comes / Sun, sun, sun, here it comes / Little darling, I feel that ice is slowly melting / Little darling, it seems like years since it’s been clear / Here comes the sun / Here comes the sun, and I say / It’s all right / Here comes the sun / Here comes the sun, and I say / It’s all right / It’s all right

13h45


e essa… porque tenho um fone de ouvido… e posso ouvir música quando retorno para casa, depois das aulas da noite.

Jorge Drexler – Aquiles por su talon es Aquiles

Se es lo que se es / lo que siempre se ha sido / Se siente lo que se siente / en el centro del centro silente / tenga o no tenga evidente sentido / Y rara vez se es tal y como se quiere / se llora lo que se llora / uno no elige de quien se enamora / ni elige qué cosas a uno lo hieren / Y en lo más sutil de los cuerpos sutiles / lejos de la noria de causas y efectos / se tiene el corazón que se trae por defecto / así como Aquiles, por su talón, es Aquiles / La sed, aquella sed / la que el agua no cura / La cruz de un presentimiento / que nos suelta hacia los cuatro vientos / con el mandamiento de buscar a oscuras / Y en lo más sutil de los cuerpos sutiles / lejos de la noria de causas y efectos / se tiene el corazón que se trae por defecto / así como Aquiles, por su talón, es Aquiles / Se es lo que se es

22h20

me sinto um peixe fora do aquário…

[sáb] 26 de agosto de 2017

dados do dia:

a manhã foi de Dora. a tarde de Dorinha também… e dei uma mão para meu pai. essa noite será de faxina e/ou digitação das aulas. tantas faz.

21077645_10155626978662354_520958719567589371_n

amanhã farei casinha para dora. prepararei aulas para semana. e o que eu decidi não fazer nessa noite

e sobre o futuro… sei nada não. apenas incertezas. mas estou leve…

e para registrar as canções bonitas… que ouvia pela manhã… desses seres que cantam demais.

Sem Nome Mas Com Endereço, por Liniker.
Elza Soares - Mulher do Fim do Mundo.
Letra e música de Romulo Fróes e Alice Coutinho.
Francisco, el hombre - Triste, Louca ou Má
Johnny Hooker (part. Liniker) - Flutua
Johnny Hooker - Amor Marginal
Liniker - Fim de Festa (Itamar Assumpção)
Paulinho Moska & Jorge Drexler - Lágrimas de diamantes
Liniker - Calmô

andar pelado em casa

[ter] 21 de fevereiro de 2017

nota 1. é hoje. ou vai ou racha.

nota 2. nota mental, sair em menos de 30 minutos de casa, porra… se mexe (11h50)

nota 3: desenvolver aquela ideia para o poema. imagens: decupagem excessiva/ausência de espaço pra manobrar/respirar/criação/liberdade do improviso.

nota 4. melhor coisa de morar sozinho: andar pelado em casa.

nota 5. menos like. vai arrumar a casa/aulas/o que fazer bicho.

nota 6. o mate anda muito amargo. cuidado com a mistura das ervas.

nota 7. esquecer suas próprias memórias é tornar-se um tanto oco.  rememorar-se é mergulhar em sua profundidade. rir-se de si, como um rio que se refaz continuamente, revoltando o que há de fundo, acalmando o que há de superfície…

nota 8. urgem. comprar shorts e bermudas.

nota 9. vitamina d é importante. mas sol só antes da nove e de sair de casa. depois é o inferno.

nota 10. sobre o papo de ontem, sobre sentir-se nu em sala, como professor. não é tanto pela performace, mas por estar envolto em algo que é familiar. não as pessoas, pelas quais vamos criando laços com o passar do tempo e em alguma medida vão tornando-se familiares também, mas acredito que é pelos assuntos que giram em uma aula de sociologia

nota 11. repetir infinitamente susana félix e jorge drexler. enquanto os outros ansiosamente caminham ou esperam… o universo seguem em queda livre até o instante da calma.

sem-titulo

nota poética avulsa – entre a crueldade do sol e escuridão, o corpo busca os fios de sombra.

entre a crueldade do sol,
esse deus implacável,
e o abraço sombrio da escuridão,
o corpo, como um deserto,
busca os fios de sombra
para aliviar a dor
de arder por inteiro
as três da tarde

nota 13. nem sempre as coisas dão certo. nem ao menos do jeito que imaginávamos. as coisas apenas seguem seu roteiro caoticamente aleatório, apesar de todos os nossos esforços. as coisas conspiram… me aguarde. um dia eu chego.

 

%d blogueiros gostam disto: