Archive for the 'Juçara Marçal' Category

emancipate yourselves from mental slavery, none but ourselves can free our minds

[seg] 20 de novembro de 2017

20/11

O CANTO DOS ESCRAVOS – Clementina de Jesus, Doca, Geraldo Filme

Clementina de Jesus – Fui pedir às Almas Santas

Clementina de Jesus – Cangoma me chamou

Capítulo 4 Versículo 3 – Racionais Mcs

Miriam Makeba – Pata Pata

Ain’t Got No, I Got Life – Nina Simone

Emicida Feat: Rael – Obrigado, Darcy! (O Brasil que vai além)

metá metá – ora iê iê ô

Atotô – Kiko Dinucci & Juçara Marçal

Kiko Dinucci e Juçara Marçal – Machado de Xangô

Iansã – Maria Bethânia

Rappin’ Hood – Sou Negrão part. Leci Brandão

Thaide e DJ Hum – Sr. Tempo Bom

Rincon Sapiência – Ponta de Lança (Verso Livre)

Criolo – Sucrilhos

Nina Simone – Mississippi Goddam

metá metá… sozinho.

[qui] 28 de maio de 2015

hoje é dia de voltar ao movimento.

***

na madrugada transcrevi do novo ep do metá metá – me passado pelo juniores – a letra da canção sozinho [composição: Douglas Germano].

sozinho eu chego bem mais tarde
sozinho eu nunca fui covarde
sozinho eu leio o meu jornal
sozinho eu pulo na geral
sozinho eu não vou sofrer

sozinho meu café é forte
sozinho se eu temesse a morte
sozinho eu faço a minha paz
sozinho todo amor é mais
sozinho eu nunca vou sofrer

eu nunca pedi nem um pouco a mais do que já mereço
e eu quis demais
eu não escolhi o que essa vida faz
mas sempre vivi do que se desfaz

sozinho, minha trilha é Blanc*

sozinho não tem quem me arranque
sozinho eu paro onde eu quiser
sozinho, chopp, gim, fernet
sozinho para não mais sofrer
sozinho acordo bem mais cedo
sozinho sem pensar em medo
sozinho, eu nunca estive só
sozinho todo mal é pó
sozinho, eu sei bem mais viver

eu nunca pedi nem um pouco a mais do que já mereço
e eu quis demais
eu não escolhi o que essa vida faz
mas sempre vivi do que se desfaz

sozinho eu leio o meu jornal
sozinho eu pulo na geral
sozinho eu não vou sofrer

sozinho eu faço a minha paz
sozinho todo amor é mais
sozinho eu nunca vou sofrer

sozinho eu paro onde eu quiser
sozinho, chopp, gim, fernet
sozinho para não mais sofrer

sozinho eu nunca estive só
sozinho eu todo mal é pó
sozinho eu sei bem mais viver

*Correção feita. “O verso correto é: ‘Sozinho, minha trilha é Blanc’ Se trata de uma reverência direta ao compositor Aldir Blanc”.

meta_ep_capa_alta

PS: OUÇA: Luiz Tatit, “Rodopio” (2007)

 

configurações de esquecimento

[seg] 27 de abril de 2015

«configurações de esquecimento, memórias alheias…»

quando aquele cara falou isto eu fui obrigado a pegar o pedaço de papel e a caneta mais próxima para anotar. guardei… só não guardei o nome do artista plástico.

_________________________________-

ontem, fiz a poda de algumas plantas. e ganhei um cisco no olho. meu olho vermelho arde.

__________________________

trilha de fundo:

 

Metá Metá – Man Feriman (METAL METAL)

Juçara Marçal — voz Kiko Dinucci — voz, violão, guitarra e percussão Thiago França — sax, flaura e EWI Marcelo Cabral – baixo Sergio Machado — bateria Samba Sam — percussão

e a busca por traduzir isto aqui:

Ô IÊ IÊ XORO ODÔ OLOMI AIÊ feriman
Omanfe xorodô.

talvez isto aqui [Dicionário Yoruba-Portugues – 5a. ed.] me ajude.

__________________________________________–

sair de casa é tão difícil. tenho que ir até a escola hoje.

efeito ideomotor

[sáb] 25 de abril de 2015

voltar ao tempo…

perdido. sem sentido. ilhado. trocando horários… já não se sabe o que é a noite e o dia. escondido do mundo. alguém fala comigo? eu já nem sei o que penso. ando a entorpecer-me no vazio. zapeando os canais da tv, na natgeo, encontro isto aqui: efeito ideomotor… e lembrei do fábio “abelha” da psicologia, 2007, eleição dce, comissão eleitoral… ufsc.

e do teste no laboratório de psicologia, sob convite do abelha, ao qual fui cobaia… uma grande lição. por onde andará o abelha. há dez anos atrás em entrava no curso de cs. como essa vida voa…

e sobre o bicho gente é preciso ter cuidado com a mente… muitas coisas passam na esfera do inconsciente. e dos textos que falam do efeito ideomotor, que não vou explicar aqui, recomendo visitar este aqui: o poço e o pêndulo, de carlos orsi. ps: isto aqui também é interessante: o cérebro – cuidados a ter na sua utilização, de cláudio tereso.

*

hoje, vi o filme Milk: A Voz da Igualdade; com sean penn. excelente filme.

*

ps: e as cinzas de calbuco, o vulcão chileno, deixaram o final de tarde mais belo.

***

e ouvindo todas estas músicas  de fundo… eu percebo algo em mim que diz que eu parei no tempo.

*

músicas de fundo desta postagem:

metá metá

Obatalá (instrumental) – Juçara Marçal, Kiko Dinucci e Thiago França

baleia

Furo / Composição: Gabriel Vaz // Se perdeu numa poça / E caiu em um furo de céu / Refletido / Seu rosto no abismo / Tão azul quanto seu umbigo. // Escondeu-se no escuro / Dei um beijo, virou susto / E correu pro espelho, mas não há luz / Que cubra o seu custo / Se perdeu numa poça e caiu em um furo de céu. // Desencontra rio e mar. / Diz que é ferida sarada, / Mas não vai parar de assoprar. / Doce voz, velada e só, / À deriva entre o ar e o pó // Ria antes que o medo divida / Não se perca na multidão / Grita / E antes que eu perca de vista / Incendeia as mãos.

Jiraya / Composição: Cairê Rego // Máquina de escrever / Boneca velha lembra a plástica / De remendar/colar o braço do jiraiya. / Dá carrinho e é vermelho // Como o peito do jiraiya. / Sai a nota e é vermelha / Cai o braço do jiraiya. // Me desculpe essa dor do encanto, / Pois encanto é alucinação. / Trocaria figuras colantes por comandos em ação, / Que me calem com um bombardeio.. // Trágica / Feição que hoje encarno, e solta toda lágrima / O desespero de ser nada além de mim // Que se basta em canção rota, / Minimiza o que é o fim / Que se faz de maltratado / Maldizendo o querubim.. // Me desculpe essa dor do encanto, / Meu encanto é alucinação. / Trocaria figuras colantes por comandos em ação.

%d blogueiros gostam disto: