Archive for the 'Sándor Márai – Sándor Károly Henrik Grosschmid' Category

mas de qualquer jeito, nunca fomos de muita conversa… então não pense duas vezes, está tudo bem

2018, dezembro 31, segunda-feira
  • vai terminar o ano e não terminei de ler o livro. mas colo coisas:

Case sabia que em algum momento, havia começado a jogar um jogo consigo mesmo, um jogo muito antigo que não tinha nome, uma espécie de paciência final. (…) uma parte dele sabia que o arco de sua autodestruição estava ululantemente óbvio para seus clientes, que iam rareando, mas essa mesma parte se comprazia no conhecimento de que era apenas uma questão de tempo. e essa era a sua parte, que encarava a expectativa da morte com desprezo, que mais odiava pensar em Linda Lee.
Ele a conhecera numa noite de chuva num fliperama. (pág. 28) (…) a expressão no rosto dela, (…) o lábio superior igual àquela linha que as crianças desenham para representar um pássaro em movimento. (pág. 29)
(…) agora havia uma coisa nos olhos cinzentos dela que ele não conseguia ler, uma coisa que nunca vira ali antes. (pág. 31)

e há cabeça a cabeça, a corrida chino-yanque, pela tal computação quântica – e o cara da geografia pergunta/afirma:

  • Prolongamento das inovações e a administração dos ciclos longos?!!! e a teoria leninista da crise?!

procuro o poema, acho uma confeitaria… e priscilla campos me diz como degustar um bocado de matilde… vale a leitura, excelente publicação independente, vale a leitura integral do texto. tomo notas:

  • Linguagem oral e oscilação como impulso da escrita
  • Sándor Márai: “En la literatura, así como en la vida, sólo el silencio es sincero”
  • Poems e Today, de Frank O’Hara como o marco zero literário de Matilde?

Well it ain’t no use to sit and wonder why, babe
Ifin’ you don’t know by now
An’ it ain’t no use to sit and wonder why, babe
It’ll never do some how
When your rooster crows at the break a dawn
Look out your window and I’ll be gone
You’re the reason I’m trav’lin’ on
Don’t think twice, it’s all right
And it ain’t no use in a-turnin’ on your light, babe
The light I never knowed
An’ it ain’t no use in turnin’ on your light, babe
I’m on the dark side of the road
But I wish there was somethin’ you would do or say
To try and make me change my mind and stay
We never did too much talkin’ anyway
But don’t think twice, it’s all right
No it ain’t no use in callin’ out my name, gal
Like you never done before
And it ain’t no use in callin’ out my name, gal
I can’t hear ya any more
I’m a-thinkin’ and a-wond’rin’ wallkin’ way down the road
I once loved a woman, a child I am told
I give her my heart but she wanted my soul
But don’t think twice, it’s all right
So long honey babe
Where I’m bound, I can’t tell
Goodbye is too good a word, babe
So I just say fare thee well
I ain’t sayin’ you treated me unkind
You could have done better but I don’t mind
You just kinda wasted my precious time
But don’t think twice, it’s all right
e vou repetir essa canção até o sono chegar e eu conseguir dormir. pra acordar só ano que vem… ou não, pois é cedo e já tomei muito café.