Archive for the 'Trilha Sonora' Category

wir machen uns vor, dass wir frei sind. wir folgen dem immer gleichen pfad, wieder und wieder und wieder

2019, janeiro 2, quarta-feira

e já é quase dia 3.

passei as duas ultimas madrugadas vendo filme e marotonando duas séries na companhia de minha filha

o belo Bad Seeds

a instigante e comovente: a maldição de hill house

e misteriosa e complexa: dark;

os dois primeiros eram coisas que ela já viu, mas queria socializar comigo. e foi boa a parceria, foram três dias de muita conversa, lanche e bocado de tv. momentos assim de camaradagem são muito bons.

e é bom ter outra coisa pra fazer do que só ficar escrevendo aqui, e pensando na grana que eu preciso e não tenho pra terminar minha casa e pagar minhas contas. e fora a postagem do belchior, lema pra essa vida, nesse novo ano, e que eu já tinha programado, a última inserção aqui foi pela manhã do dia 31.

«There are more things in heaven and earth, Horatio, than are dreamt of in your philosophy»~Hamlet (1.5.167-8), Hamlet to Horatio

«Der Unterschied zwischen Vergangenheit, Gegenwart und Zukunft ist nur eine Illusion, wenn auch eine hartnäckinge…» «A diferença entre passado, presente e futuro e somente uma persistente ilusão…» Albert Einstein

Wir machen uns vor, dass wir frei sind. Wir folgen dem immer gleichen Pfad, wieder und wieder und wieder.  Jonas Kahnwald in: Dark – Cap. 10 – Alpha und Omega. minuto 36.

***

«as decisões da mente são apenas desejos, os quais variam de acordo com várias disposições» Spinoza, Ética, livro três, escólio da proposição dois

«não há na mente vontade livre ou absoluta, mas a mente é determinada a querer isto ou aquilo por uma causa que é determinada por sua vez por outra causa, e essa por outra e assim ao infinito» Spinoza, Ética, livro dois, proposição 48

«os homens se consideram livres porque estão cônscios das suas volições e desejos, mas são ignorantes das causas pelas quais são conduzidos a querer e desejar» Spinoza, Ética, apêndice do livro um.

***

e para fechar as referências de hoje:

para ler mais: Mary Wollstonecraft e as origens do feminismo

 

il mondo… ou ninguém se sente um adulto. e esse é o segredo sujo do mundo.

2015, agosto 2, domingo

seriamente pensando em mudar-me… mas as semanas passam e caio na zona de conforto, nos velhos hábitos… nos mesmos pensamentos. e quando vejo o tempo voou. da cama para o sofá, do sofá para a cadeira…

mais uma semana de telecine aberto e não fiz nada… do sofá da sala da casa da mãe para o quarto-escritório jogar war online. chegando ao cúmulo de esgotar os plano ‘b’ e ‘c’ nas aulas de sociologia – aqueles planos tapa-buraco para quando você não tem como seguir o planejamento das aulas porque deixou de fazer um dos movimentos necessários (tipo corrigir avaliações ou preparar o material específico para aquele dia (a ficha, o questionário, o texto de subsídio etc) e precisa improvisar… foi uma semana desleixada. mas tudo vai assim, algo como dois ou três dias empolgado e um mês inteiro no ostracismo. deprê.

algo bom nesta semana foi que passou por cá o camarada fukuta. quando ele avisou que estava chegando, eu fiquei meio contrariado… mas no fim, ele veio de visita, retornou de suas férias em são paulo, e foi bom ele ter passado por cá… ajuda a desanuviar, botar o papo em dia… ter amigos é bom. mas já foi, voltou para laguna e para seu curso de arquitetura… pensando em ir para o cinema – sempre pensando em não terminar e ir para outro lado. somos bem diferentes, mas temos algumas coisas em parecido. é bom recebe-lo e bater um papo. conversar abertamente sobre a vida.

uma coisa que me incomodou profundamente e me tomou uma semana inteira foi que nessa semana que passou tudo foi bem estressante com o meu primo. joguei algumas verdades, fui duro… mas parece que ele baixou a guarda… mas sei não. e também não sei se estou disponível para dar ajuda… para aguentar esse tranco de ter que dar suporte emocional e agir como “pai” ou “mãe” de alguém mais velho do que eu, só porque o cara não está jogado no mundo e se afundando na sua incapacidade de se ligar afetivamente com as pessoas…

e porra, eu não cheiro cocaína e/ou fico bêbado constantemente, mas não estou muito longe dele nesse quesito emocional. talvez viver perto dos parentes (pais e filha) dê essa impressão que as coisas são mais sólidas do que de fato são. as vezes eu me sinto, literalmente, numa ilha. perdido… errando.

e já são quase trinta e três…

mas ninguém se sente adulto, foi o que disseram no filme. faz sentido.

trilha desta postagem (na itapema…):

David Byrne - Neighbourhood
Jorge Drexler - La trama y el desenlace
Arnaldo Antunes e Nando Reis - Não Vou me Adaptar

***

a trilha sonora de um filme de ontem (about time) e outro de hoje.

1. The Luckiest – Ben Folds
2. How Long Will I Love You – Jon Boden, Sam Sweeney, Ben Coleman
3. Mid Air – Paul Buchanan
4. At The River – Groove Armada
5. Friday I’m In Love – The Cure
6. Back To Black – Amy Winehouse
7. Gold In Them Hills – Ron Sexsmith
8. The About Time Theme – Nick Laird-Clowes
9. Into My Arms – Nick Cave & The Bad Seeds
10. Il Mondo – Jimmy Fontana
11. Golborne Road – Nick Laird-Clowes
12. Mr. Brightside – The Killers
13. Push The Button – Sugababes
14. All The Things She Said – T.A.T.U.
15. When I Fall In Love – Barbar Gough, Sagat Guirey, Andy Hamill, Tim Herniman
16. Spiegel Im Spiegel – Arvo Pärt
17. How Long Will I Love You – Ellie Goulding

***

1. Poison Tree – Moby
2. Uh Uh Uh – Hey Willpower
3. Hotter Sweeter – Miss TK & The Revenge
4. Runnin’ Away – Ryan Dilmore
5. In the Moonlight – Dawn Mitschele
6. Beethoven: 1. Erwachen heiterer Empfindungen bei der Ankunft auf dem Lande: Allegro ma non troppo [Symphony No. 6 in F, Op.68 -“Pastoral”] Berliner Philharmoniker, Herbert von Karajan
7. Vedrò con mio diletto – Philippe Jaroussky with Ensemble Matheus
8. Tannhäuser: Overture – Chicago Symphony Orchestra
9. Piano Concerto No. 5: 2nd Movement – The Blainville Symphony Orchestra’
10. Soave sia il vento – Carol Vaness, Delores Ziegler, Claudio Desderi & London Philharmonic Orchestra
11. Médiation – Michel Schwalbe with Berliner Philharmoniker
12. Concerti op.3, No.10 ‘L’estro armonico’: Allegro – Angel Romero, Pepe Romero, Celedonio Romero, Celia Romero, The Academy of St. Martin-in-the-Fields, Iona Brown
13. La scala di seta: Overture – The Academy of St. Martin-in-the-Fields
14. I’ve Got a Right To Lose My Mind – Margo White
15. All the Girls Be Mad At Me – Lippay
16. Lost Dreams – The Soulsations
17. Cali Frame – Medusa
18. Zefiro torna (Ciaccona) – L’Arpeggiata with Philippe Jaroussky, Núria Rial
19. Favorite Song – Kaiser Cartel
20. I Want a Kenyon Man – Calle Voce